segunda-feira, 13 de abril de 2009

Um sorriso que fez meu dia valer



Um sorriso que fez meu dia valer
Que doçura,
O brilho nos olhos me cobra um sorriso,
Sentada de vestido florido, que jeito curioso o dela,
Seus cabelos negros e crespos, ajeitado num laço vermelho,
Tão miúda, com braços e pernas finas,
Pele nova e pura, de cor negra opaca.
Com os dedos entrelaçados, olhava para tudo o que parecia novidade
Avistou uma mulher de saia rodada guiando um cachorro na rua,
Seguia-os com os olhos, em seguida deu um sorriso travesso
Mexia a cabeça procurando algo interessante que pudesse ver,
Não avistou nada diferente, ajeitou-se no acento, e brincava com as mãos,
Moleca levada agarrou a bolsa da mãe que estava ao lado,
De uma forma rápida e engraçada fuçava nos pertences aliestavam
Puxou uma fita cor-de-rosa e amarrou-a no pulso,
Com movimentos lentos dava um nó na fita,
A Mãe olhava de uma forma impaciente,
Logo saltou do acento e levantou a menina pelo bracinho magro
Que lançou-lhe um olhar de desaprovação,
A mãe encaixou a menina entre as penas e empurrando-a com o corpo,
Lançou-a para frente, esmagando-a na mulher de vermelho em pé a sua frente
A menina que várias vezes reparava que eu a observava-a, olhou para o lado e disse um oi com uma voz fina e tranquila acompanhado de um sorriso tímido, que fez valer minha manhã
A mãe lançou-a rapidamente para fora do ônibus,
E então eu observei-as pela janela, até não poder vê-las mais,
Aquele foi o ato que tomou conta dos pensamentos em parte do meu dia.


12 Opiniões:

Lemon Blog disse...

muito bom o seu poema..
é bom ler algo assim de madrugada xD

http://sasdelli.blogspot.com/

Sóda Games disse...

Parabéns pelo blog linda, belos poemas os seus. Sucesso para você sempre !!!

Abraços

Otimização de recursos e serviços.
http://menosbits.blogspot.com/
O jeito inteligente de se usar a internet.

Stephany disse...

Belo texto.
Me fez lembrar uma vez no metrô, em que uma mulher carregava uma criança no colo com menos cuidado com que levaria uma mochila. Vi o bracinho dela entortar pra caramba, amassada na multidão, e a mãe nem aí.
Dava vontade de tirar a menininha e sair correndo dali.
Não importasse o que estivesse passando, a menininha continuava com seu olhar terno. E a confiança em sua mamãe.

http://www.olhar-blase.blogspot.com/

Marilis disse...

Lindo poema =)
posso linka-la?

bjss

Marilis disse...

ja esta linkada
po eu faço Publicidade e Propaganda
=)
sempre passarei por aqui tb
bjsss

Juliana Oliveira disse...

Nossa, fazia tempo q eu não passava por aqui, ta muito legal seus textos, na verdade entrei porque vi no seu subnick kkkk. Vc descreveu de uma forma q até deu para imaginar a cena da menininha.

Em breve refaço o meu blog q está inativo ainda kk...
Bjão Joy, se cuida

Ronaldinho disse...

Belo blog.

Falo sempre para meus alunos "sorriam, pois o sorriso é um dom que vocês tem e ele abre muitas portas"

avassaladorasrio disse...

Querida amiga avassaladora...
Gostei do que li, das indicações e do conjunto da obra.
O titulo de sua postagem me lembrou um dia azedo que começou com muita confusão e de repente no elevador correndo para garagem já atrasada ... vi um sorriso de criança, uma quase gargalhada... sabe que o restante do dia pareceu iluminar-se!

Náhira Brunelle disse...

Um sorriso... de uma criança, um adulto ou um idoso... Quão belo é, um sorriso sincero!
Adorei o texto e o blog!

bjO

Ronaldinho disse...

ola querida,

tudo bem?

que bom que passou nos meus blogs e gostou

agradeço os comentários

bjs e bom feriadão

Junior disse...

eu adorava ser instrutor de ingles por causa das crianças. elas sao tao fofas xD
=*
-Jr

Vinicius Dallazem disse...

lindo! *-*
virei seguidor seu! :)

se puder, dá uma passada lá no meu blog. :)

http://haveyourownstyle.blogspot.com/

beijos!