domingo, 31 de maio de 2009

Tiros em Columbine


Michael Moore
Na abertura de uma conta em um determinado banco, você tem direito a escolha de uma arma de fogo. “Mas não é perigoso dar uma arma dentro de um banco?” Questiona o cinegrafista Michael Moore.


Michael Moore, que cresceu em Michigan/ EUA (considerado o paraíso dos amantes de armas) quando adolescente ganhou um prêmio da National Rifle Association Marskman, por ser um bom atirador.

Homens vestidos de soldados dizem que ter uma arma é uma missão de responsabilidade. “Quem não tem arma, não é responsável”, afirma um deles.

Nas escolas alunos eram expulsos por portar armas de fogo. Crianças e adolescentes, Carregavam má reputação pela cidade, eram vistos como crianças com problemas, possuíam mal comportamento na escola, e por fim, eram vistos como alunos “perigosos”.

Pessoas dormem com armas (magnum 44) carregadas debaixo de seus travesseiros.

Lockheed Martin é a maior fábrica de armas do mundo, situada na região de Littleton/ Clorado.

Eric Harris, cujo pai era piloto e medalhado na guerra do golfo. 20% das bombas largadas nessa guerra foram por aviões que partiram de Oscoda, cidade onde Eric passou boa parte de sua infância.

Eric Harris e Dylan Klebold
Na manhã do dia 20 de abril de 1999, o instituto Columbine nos Estados Unidos da América, ficou marcado por um massacre praticado por dois estudantes, Eric Harris e Dylan Klebold, que possuíam bombas, metralhadoras Uzis, além de outras armas. Os dois percorreram toda escola e atiraram em alunos e professores, que desesperados corriam para debaixo das mesas da bibiblioteca e cafeteria.

Enquanto escondidos, professoras entravam em contato com a polícia e a mídia pedindo socorro e descrevendo a cena desesperadora que presenciavam. O pai de Eric Harris entrou em contato também e alegou que seu filho podia fazer parte do tiroteio, quando foi questionado, alegou que Eric fazia parte de uma gang, a “máfia dos impermeáveis”.

Mataram 12 alunos e um professor, atingiram também várias pessoas com 900 balas que foram disparadas, as armas utilizadas foram compradas legalmente em lojas da região.

Eric Harris e Dylan Klebold

Harris tinha um diário, que mais tarde foi encontrado pela polícia, ele escrevia coisas que foram consideradas como delírios. No final do massacre Harris e Klebold dispararam sobre eles mesmos.

Este foi um assunto que na época repercutiu e virou polêmica no mundo todo, o ocorrido inspirou o documentário do cineasta Michael Moore, "Tiros em Columbine" produzido em 2002 que ganhou o Oscar de melhor documentário em 2003. E que até hoje é lembrado, sendo usado como comparativo para outros massacres também realizados em outras partes do mundo.

Intratec TEC-DC9 é semi-automática, pesa em torno de 1,5kg, utiliza mução de 9x19 Parabellum
Fonte - do blog "srjamesbond"

Para abordar o massacre, Michael Moore, mostra inúmeros acontecimentos violentos e criminosos. Como crianças e adolescentes conseguem armas de fogo com tanta facilidade?  “Por quê os Estados Unidos é o país mais violento e racista do mundo?".

De quem é a culpa? Especialistas julgaram quem consideram os maiores responsáveis pela imaginação e violência dos jovens. Heavy-metal, os pais, os filmes violentos, South Park, os jogos de vídeo, a televisão, os meios de comunicação, o diabo, os desenhos animados, a sociedade, as drogas e por maioria de votos o roqueiro Marlyn Manson.

Tantas acusações na mídia levou o cantor a se defender e afirmou que artistas como ele, não são os culpados. Mas depois do massacre, as pessoas realmente acreditavam que os assassinos escutavam Marlyn Manson. Michael Moore foi ouvir o cantor tinha para dizer. Manson falou sobre influências do presidente, em momentos que pessoas se esquecem que o presidente largou bombas do outro lado do mar, mas ninguém o julgaria, preferiam julgar Manson, porque ele faz rock, e as pessoas acham uma ameaça porque segundo ele, ele dis o que pensa e o que quer.

Michael Moore pergunta: O que você diria para os alunos de Columbine?
Marlyn Manson responde: Eu não diria nada, simplesmente ouviria o que eles têm para dizer. Acho que foi isso que as pessoas não fizeram.

Michael Moore compara os EUA e o Canadá, países vizinhos com uma diferença muito grande nos números de violência. Enquanto nos Estados Unidos a quantidade de homicídios, vendas de armas e crimes aumentam. Os canadenses não se preocupam em deixar as portas de suas casas abertas durante a noite.


Sinopse

Um documentário que investiga a fascinação dos americanos pelas armas de fogo. Michael Moore, diretor e narrador do filme, questiona a origem dessa cultura bélica e busca respostas visitando pequenas cidades dos Estados Unidos, onde a maior parte dos moradores guarda uma arma em casa. Entre essas cidades está Littleton, no Colorado, onde fica o colégio Columbine. Lá os adolescentes Dylan Klebold e Eric Harris pegaram as armas dos pais e mataram 14 estudantes e um professor no refeitório. Michael Moore também faz uma visita ao ator Charlton Heston, presidente da Associação Americana do Rifle.


DICA: Para quem se interessar em assistir o documentário, no "youtube", é possível encontrar completo. divididos em 8 partes, clique aqui e assista.


segunda-feira, 11 de maio de 2009