quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Abaixando a Máquina

Nem sempre a profissão do fotógrafo é um mar de rosas como muitos imaginam. Muitas vezes o fotojornalista corre riscos de vida, atrás da melhor imagem, vejam esse vídeo:

Trailer:


Sinopse:

Emoção, imparcialidade, sociedade e respeito são os conceitos levados em conta pelos fotojornalistas quando precisam decidir entre fazer ou não uma foto impactante. "Abaixando a Máquina - Ética e Dor no Fotojornalismo Carioca" aborda as questões inerentes à cobertura nos conflitos armados cariocas.

 

9 Opiniões:

Luck disse...

Interessante! Nunca tinha pensado na profissão dos fotógrafos dessa maneira. Agora toda vez que ver uma foto numa revista ou num jornal, provavelmente, vou me lembrar desse vídeo!

Parabéns pela postagem!

Camilo C. de Andrade disse...

Ahahahah eu juro que pensei besteira quando li o titúlo do post :-P.
Também faço jornalismo, mas ao contrário de você, não acho que eu vá ser um bom profissional: Só vou na faculdade nos dias de prova, e olhe lá... ahuhuahuahua
Parabéns pelo blog... Realmente você tem o jornalismo no sangue! Desejo sorte no teu caminho.

MILTOXI disse...

Fotografia é minha segunda paixão!
Abraços...

Anjuh disse...

eu gosto muito de fotografar,apesar de ser um adepto da pintura em pastel...interessante a forma q vc conduziu esse assunto,um abraço!

Rodrigo Cavaleiro disse...

Muito legal ...
Eu já pensei em trabalhar desta forma... não me importaria com o perigo... Alias seria justamente esse o objetivo...

Quem sabe se comprar a tal camera de 1.200 reais... eu não faço tentativas ?

Prosseguindo nos demais posts...
Beijo no pé

Théo Borges disse...

Fotografia é muito interessante, mas tem que ter o dom para essa 'arte'.

parabens pelo blog!

visite-me quando puder...
http://www.leituraopinativa.blogspot.com/

Marilis Dutra disse...

O fotografo ve as coisas muito além do que somos capazes de enchergar
muito boa Dica ;)
Parabéns pelo post como sempre muito bons!!

João Rocha disse...

Todas as profissões apresentam seus relativos perigos, inclusive fotógrafo!
O que define o nível do perigo é a forma de se trabalhar.
Como diria seu Madruga (do Chaves): "Não existe trabalho ruim. O ruim é ter que trabalhar".
É pra quem pode!rss
Abç

Rodrigo Cavaleiro disse...

adiciona eu lá.....
conversar a respeito!

mininu_nu@hotmail.com