sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011

Vamos renovar as páginas do livro da vida!
Vamos descartar, jogar para cima e esquecer o ficou para trás,
Seque as lágrimas e apague as mágoas do passado
Grite bem alto: EU CONSIGO
agradeça por cada dia e cada oportunidade aproveitada ou perdida
Levante a taça, brinde e faça um desejo
Peça saúde, paz, prosperidade, felicidade, benças, esperança, sucesso e ótimas realizações!
Vamos celebrar uma nova entrada de ano, uma nova fase e mais alegria!

Que Deus abençoe a todos e um ano repleto de felicidade, com muuuuita coisa boa e acontecimentos surpreendentes, que nos faça aprender a viver ainda mais!

A minha família e aos meus amigos desejo com muito amor e carinho, que Deus continue iluminando e guiando-os!

FELIZ ANO NOVO!
Posted on sexta-feira, dezembro 31, 2010 | Categories:

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Ainda assim...



Na madrugada as vozes se calam,
E os meus pensamentos se manifestam
Ora triste, ora feliz
Eu aprendi com quem sempre me diz
Que terei esplendor no amor.

Mais se ganha do que se perde
É o sabor do que é aprender a viver
Minha alma se entristece quando
A esperança desaparece
Aqui minha missão é aprender.

O sofrimento é amante da paixão
O amor é a doença sem cura
Cicatriza, mas ainda existe amargura
As lágrimas que rolaram silenciaram o grito de dor
Ainda assim não deixarei de acreditar no amor
Ah, que feliz se encontra o meu coração!

(Joyce Barreto Chicon)
Posted on sexta-feira, dezembro 24, 2010 | Categories:

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Esperança

Giverny, Monet

Dentro de um abismo interno
me perco facilmente em meus pensamentos,
e quando me dou conta, não consigo me encontrar.
Não me movo e me entrego, são lágrimas que bloqueiam minhas energias
e vem a fraqueza e toma conta do que sou.


Ainda assim, acredito que nada acontece por mero acaso,
Quando tomei coragem para enfrentar o que me aflinge,
ouvi palavras acompanhadas de arrepios, que me fez acordar,
Por mais que me castiguei com a solidão, percebi que ninguém nunca fica sózinho.
Mesmo com profunda tristeza, aprendi que ninguém depende de ninguém,
que algumas pessoas nunca vão olhar para outras com respeito,
e vão sim agir por impulso e mesmo que inconscientemente ferí-las.
Mas aprendi também que somente eu posso me levantar.

Me encontro em um caminho livre e silencioso, cujo nome é esperança!

(Por Joyce Barreto Chicon)
Posted on segunda-feira, novembro 01, 2010 | Categories:

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O amor é como droga

"...algo parecido com a sensação que um viciado em cocaína experimenta quando abandona a droga."

Romeu e Julieta

Como de costume, estava folheando as páginas do jornal "O Estado de São Paulo", lendo algumas matérias que me interessam, quando me deparei com um título bem interessante.

Estudo mostra que o amor é, de fato, como uma droga
Área do cérebro associada ao vício apresenta maior atividade diante da imagem do amado
Ellen McCarthy
THE WASHINGTON POST

Um a um, os estudantes universitários que participam do estudo do psicólogo Art Aron sobre rejeição amorosa apresentaram suas histórias pungentes.
"Não consigo dormir", disse um deles ao entrevistador. "Eu fico ali, deitado, tentando imaginar o que houve e como poderia ter sido."

"Dói muito", disse outro voluntário. "Eu desmorono, começo a chorar." Um joven se perguntava: "O que é que ela quer?"
Todas as pessoas estudadas puderam explicar que estavam sofrendo. Mas, ao estudar a atividade de seus cérebros, Aron e seus quatro colegas pesquisadores descobriram que eles estavam experimentando algo parecido com a sensação que um viciado em cocaína experimenta quando abandona a droga.
"É muito material e muito real", afirma Aron, coautor de um relatório sobre o assunto publicado no Journal of Neurophysiology.

Aron, um professor de psicologia social Universidade Stony Brook, em Nova York, vem estudando o amor romântico há 30 anos. Para isso, durante a última década, ele usou uma tecnologia que faz imagens do cérebro. Dessa maneira, ele pôde examinar experiências intensamente subjetivas de uma maneira relativamente concreta.

Para realizar esse estudo, Aron e seus coautores, incluindo a antropóloga Helen Fisher, recrutaram sofredores amorosos por meio de um folheto que questionava: "Você foi rejeitado recentemente no amor, mas não consegue superar?"

Anseio. As dez mulheres e cinco homens que participaram do estudo foram entrevistados sobre seus relacionamentose rupturas. Cada um deles reportou "pensamento obsessivo e anseio por uma união emocional".

Todos disseram que pensavem na pessoa que os rejeitara por mais de 85% do tempo em que estavam acordadas. E admitiram, de diversas maneiras, que se comportaram de um jeito familiar a qualquer um que tenha sido abandonado: chorando durante horas, implorando para voltar, telefonando e passando e-mails incessantemente, bebendo demais.

Dentro de uma máquina de captação de imagens cerebrais, eles observaram fotos de seu amor perdido alternadas com a de uma pessoa neutra, como um colega de quarto. Quando os estudantes olhavam para as fotos de quem os rejeitara, havia significativamente mais atividade em duas áreas do cérebro.

A primeira é uma área carregada de dopamina que intermedeia sistemas de recompensa e também se ilumina durante os arroubos do amor romântico (mútuo) inicial. A segunda é uma área associada ao vício e à ânsia por drogas.

Para Aron, as descobertas sugerem "que, para ajudar pessoas a lidarem com esses tipos de situações, podemos querer olhar para coisas que foram úteis para tirar pessoas de vícios específicos".
Significa também que um lábio franzido, uma caixa de lenços de papel e uma caneca de cerveja não vão vencer uma mágoa amorosa aguda, da maneira como nós e os diretores de comédias românticas gostariamos.

Mas o estudo mostrou também que os sujeitos que foram rejeitados há mais tempo exibiram uma quantidade menor de atividade na parte do cérebro que afeta a ligação entre pessoas.
Portanto, nossa avó estava certa. "Isso é consistente com a noção de que o tempo cura as feridas", diz Aron.

Tradução da Celso M. Paciornic

domingo, 8 de agosto de 2010

Do livro INIMIGO RUMOR

 MUNDO MINIATURIZADO
(há muito antes do nanquim) 

uma guache de dedos ferozes
um navio, um urso, um camelo
distantes do papel centímetros

debaixo dos excessos escorridos
manchas em marcha ascendente
acesas, uma colônia de formigas

pilares do pátio através das vidraças
faróis de uma caminhoneta, o arrasto
contido de estranhas incandescências

Só então um pão com leite morno, jornais
vários manchados cheios de traços e rasgos
adultos zangados são sempre a minha casa

(Renato Mazzini nasceu em março de 1981, em Santa Fé do sul, interior de SP.) 

domingo, 25 de julho de 2010

domingo, 11 de julho de 2010

O Diário de Anne Frank - Parte II

O Sonho do reconhecimento
Anne Frank

"O Diário de Anne Frank" é um livro que particularmente tenho um grande apreço, a um tempo atrás, havia feito um post sobre o livro, na realidade havia colocado a sinopse, vídeos e fotos para que quem não conhecesse, tivesse a oporunidade de conhecer pelo menos parte do que foi a história de Anne. Mas neste post, vou colocar um trecho do diário dela, em que me chama muito a atenção.
Era uma menina de 14 anos sonhadora e mesmo muito nova, traçou diversos ideais, um dos maiores sonhos de Anne era tornar-se jornalista e escritora, ainda pensava que assim que a guerra terminasse ela iria prestar solidariedade aos necessitados. sentia-se sozinha e até desprezada pelas poucas pessoas que tinha na vida. O que surpreende mesmo era que mesmo presa por anos naquele Anexo, sonhava com o fim da guerra, que tudo ficaria resolvido, e os Judeus passariam a ser vistos como pessoas normais. Pois naquele momento não passavam de um povo perseguido, que como ela mesmo descreveu, o mundo os viam como seres diferentes.
Segue um trecho do diário da jovem:

O Diário

QUARTA-FEIRA, 5 DE ABRIL DE 1944
"...Finalmente percebi que devo fazer os deveres de escola, para não ficar ignorante, para continuar com a vida, para me tornar uma jornalista, porque é issto que desejo! Eu sei que posso escrever. Algumas de minhas histórias são boas, minhas descrições do Anexo Secreto são bem-humoradas, boa parte de meu diário é vivo e interessante, mas... resta saber se realmente tenho talento."

"... eu sempre reclamava por não conseguir desenhar, mas agora me sintofelicíssima por saber escever. E se não tiver talento para escrever livros ou artigos de jornal, sempre posso escrever para mim mesma. Mas quero conseguir mais do que isso. Não consigo me imaginar vivendo como mamãe, a Sra. Van Daan e todas as mulheres que fazem seu trabalho e depois são esquecidas. Preciso ter alguma coisa além de um marido e filhos a quem me dedicar! Não quero que minha vida tenha sido em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àqueles que jamais conheci. Quero continuar vivendo depois da morte! E é isso que agradeço tanto a Deus por ter me dado este dom, que posso usar para me desenvolver e para exprimir tudo que existe dentro de mim!

Quando  escrevo consigo afastar todas as preocupações. minha tristeza desaparece, meu ânimo renasce! Mas - e esta é uma grande questão - será que conseguirei escrever alguma coisa grande, será que me tornarei jornalista ou escritora?..."


Algumas palavras são fortes, isto porque parte do que esta menina de apenas 14 anos de idade desejou, tornou-se realidade. Não da forma como ela imaginou, talvez se fosse, teriamos grandes obras de Anne Frank, mas tornou-se conhecida por muitas pessoas que ela jamais conheceria, pessoas do mundo inteiro.

"O diário de Anne Frank" é mais uma lembrança da terrível guerra, é um material impresso que nos faz refletir e pensar sobre a força de um desejo. E Anne foi um exemplo disto. Seu diário é também um importante conteúdo que faz com que as pessoas lembrem-se do holocausto e não se esqueçam nunca! Coisa que alguns países como os do Oriente Médio se nega a crer, o presidente iraniano Mahmoud  Ahmadinejad, afirmou que isto não passa de mais uma farsa da História, ainda, em escolas essa parte da história está sendo extinta dos livros didáticos, para que as próximas gerações não acreditem na tragédia que aconteceu. E o pior disso tudo, é que realmente tem pessoas que se nega a crer nesse fato, e acha um absurdo aqueles que creem. Imagine quantos gênios, ídolos, e grandiosos nomes foram perdidos cruelmente no Holocausto.


Imagens 


Monumento em Amsterdão de Anne Frank

A passagem secreta

Esquema da casa e o esconderijo

Peter Van Pels (um jovem judeu que vivia no anexo com Anne, era seu grande amigo e amor)


sexta-feira, 21 de maio de 2010

Acróstico Romantica

Reencontrei motivos para viver,
O lho para a frente, e consigo ver grandes realizações,
Meu s sonhos ainda vivem com força dentro de mim, e posso dizer,
Amor de verdade, é quando nos amamos em primeiro lugar e aprendemos as lições!
Não podemos amar nada e nem ninguém se não nos amarmos e fazer
Tudo o que necessitamos para ser feliz
Infeliz eu fui quando pensei em acabar com tudo, agora virou passado o que já fiz!
Conheci a felicidade quando finalmente olhei para mim
Agora aprendi o que é amor, sou uma romântica enfim.


Por Joyce Barreto Chicon
Posted on sexta-feira, maio 21, 2010 | Categories:

sábado, 3 de abril de 2010

O diário de Anne Frank

Annelisse Maria Frank ou Anne Frank, uma adolescente judia que viveu a segunda guerra mundial, passando boa parte escondida em um esconderijo com outros judeus, era um anexo de um casarão. Onde registrou todos seus momentos e opiniões em um diário, do qual ela chamava de Kitty. Anne, falava dos medos, da convivência com a família e os outros judeus escondidos com ela, sobre seu crescimento, suas emoções e descobertas.

Após a guerra e depois de descoberto, o diário virouem um livro já lido por milhares de pessoas em todo o mundo. A primeira edição foi publicada em 1947. Alguns trechos em que a menina falava de sua sexualidade e também outros comentários foram cortados por seu pai, que achou melhor não divulgar estas informações, em respeito a Anne.

Quem lê O diário de Anne Frank se emociona com a força que a jovem teve durante o tempo que se manteve escondida, ela descrevia e narrava tudo o que conseguia ouvir, e ver além do que estava no esconderijo. Lá havia um pequeno rádio, do qual eles ouviam as notícias, e conseguiam saber tudo o que se passava sobre a guerra.

Quase no final da guerra, soldados da SS conseguiram descobrir o esconderijo, e levou Anne e as outras pessoas para um campo de concentração. A menina tinha 15 anos quando morreu, mas deixou sua história. Hoje em Amsterdã existe um museu em homenagem a ela, além de um monumento dedicado a ela.

Vídeo com imagens do Holocausto e a vida de Anne Frank


Imagens de Anne Frank





Veja como era o anexo (esconderijo)


Leia mais em: http://www.starnews2001.com.br/anne-frank/diary.htm

segunda-feira, 15 de março de 2010

Chega de idas e vindas

Especialista dá dicas para resolver os conflitos do passado e reatar o relacionamento ou desistir de uma vez por todas de um amor perdido
 
Em Tempos modernos, Leal (Antônio Fagundes) e Hélia (Eliane Giardini), estão dando mais uma chance para um amor do passado. Depois de tapas e beijos, idas e vindas, brigas e recaídas os dois estão juntos novamente. Há quem diga que isto só acontece em novelas, mas relações mal resolvidas são muito comuns na vida real.  E vários casais continuam se amando mesmo após anos separados. Segundo o psicólogo Alexandre Bez, estes casos acontecem principalmente quando ambos não têm maturidade para manter uma relação séria.  Os pombinhos da novela da sete estão tendo uma nova chance, mas ainda existem vários segredos a serem revelados já que Hélia esconde um filho que é fruto desse velho amor. Será que essa relação cheia de mistérios vai para frente? Se você também vive esse dilema descubra qual o caminho para uma reconciliação duradoura ou quando é a hora de partir para um novo amor de verdade!

Da ficção para a realidade
Assim como na ficção, na vida real, muitos casais se continuam se amando, mesmo separados. É o caso de Akemi e Felipe Alves, eles ficaram dois anos separados, ela em Tóquio, no Japão e ele em São Paulo.  “Até que ela resolveu vir pra o Brasil e nós conversamos e acertamos os ponteiros. Fato é que eu nunca deixei de amá-la”, declara. Hoje os pombinhos estão felizes juntos, mas têm que enfrentar a saudade. “Eu estou estudando no interior e não posso levá-la comigo. Termino o meu curso no ano que vem, enquanto isso ela me espera no nosso antigo apartamento na capital”, conta o engenheiro agrônomo.  Conviver com a distância só prova que os dois estão mais maduros e mais apaixonados do que nunca. Mas, nem todos conseguem resolver os problemas e dar uma segunda chance ao amor. “Há pessoas que se gostam, mas não sentem-se preparados para se amarrar”, comenta o psicólogo. A assistente de marketing Alda Santos já passou por essa situação.“Meu ex-namorado me amava, mas era imaturo demais para namorar. Acabamos terminando por esse motivo”, lembra. Se o relacionamento de Alda teve realmente um ponto final, isso só o tempo dirá. A moça ainda não descarta a possibilidade de reconciliação. “O casal pode se repetir, mas o momento é outro. A vida não se repete, nem as situações amorosas. Pode ser que o que não deu certo no passado seja resolvido no futuro com o amadurecimento dos dois”, conclui Bez. Exatamente como na trama de Bosco Brasil. Para que o romance dê certo desta vez, eles vão ter que pensar nas diferenças um do outro e tentar se adaptar com manias e costumes. É esperar para ver!

Recaídas em xeque
Segundo o psicólogo, as recaídas nem sempre são saudáveis. “Pessoas que vivem relembrando o passado e não se desligam de amores antigos costumam ter problemas psicológicos ligados ao ego. Estas pessoas normalmente têm medo de sofrer, de ficarem sozinhas e são muito inseguras”, analisa Bez. Segundo ele esse tipo de relação na maioria dos casos não dá certo. Mas existe também outro tipo de recaída, aquelas que não são tão freqüentes e que, segundo o psicólogo, acontecem porque ambos sentem saudade do romance “Se as pessoas se encontram depois de muito tempo e percebem que ainda existe um sentimento e que na época em que ficaram juntos não eram maduros o suficiente para manter a relação, acabam tendo as famosas recaídas e podem até reatar. Mas é importante tomar cuidado para não confundir os sentimentos”, explica o especialista.

Hora de partir para outra!
Foi o que aconteceu com Daniela Andrade, o romance vai e volta acabou quando ela percebeu que já não existia mais amor e que não havia motivos pra protelar o fim do romance. “Vivi um namoro cheio de idas e vindas. Até que percebi que não valia mais a pena e parti para outra. Hoje estou muito feliz ao lado de outro homem”, conta. Chega a um ponto que os dois tem experiências de vida suficientes para aceitar que o relacionamento desgastou e encarar os fatos. “Faz parte de qualquer relacionamento fantasiar e planejar o futuro, isto quando já existe uma confiança no outro e os planos partem dos dois. Mas com um tempo acontecem desentendimentos que afastam o casal e um já não agüenta mais a convivência com o outro, por mais que exista um sentimento, ambos não sabem aceitar suas diferenças”, explica Bez. Neste caso, nem adianta insistir, o relacionamento está fadado ao fracasso. “Quando o casal resolve tentar novamente, precisa pensar se vale a pena. Será que você não está se iludindo por um sentimento que já teve? Existem relacionamentos que não devem ser retomados, pois as pessoas envolvidas não mudaram e algumas atitudes vão se repetir e criar problemas novamente, pense se você tem maturidade para conviver com o que incomodava antes. Se a resposta é sim, então vale tentar mais uma vez”, sentencia. Mas, se a resposta for não, já está mais do que na hora de partir para outra, conclui.


quarta-feira, 10 de março de 2010

Sinceridade ou inconveniência?

Falar tudo o que pensa pode virar uma arma perigosa. Cuidado para não ser contaminado por pessoas sádicas e acabar sozinha por se tornar uma delas!

Quem não conhece ou convive com alguém que tem um gênio pra lá de forte? Muitas vezes isto pode ser um incomodo e gerar vários conflitos. É exatamente o que se passa com a Isabel (Adriana Birolli) em Viver a Vida. A moça diz ser apenas sincera, mas suas atitudes e sua mania de dizer tudo o que pensa sem medo, acabam desagradando às pessoas a sua volta.  Sem dúvida que Isabel tem uma personalidade forte, além disso, a bela se mostra impulsiva, infantil e até sádica. No fundo, a estudante sente inveja do sucesso da irmã Luciana (Aline Moraes) e por ciúme a ofende e cria intrigas na família. Fora de casa o comportamento da jovem não é diferente, ela inferniza a vida da rival Ellen (Dani Suzuki), atrapalha o namoro dos amigos Renata (Barbára Paz) e Miguel (Mateus Solano), chateia Paixão (Priscila Sol) e ainda arranja tempo para pegar no pé da madrasta Helena (Taís Araújo). Mas, será que a bela é feliz assim? Segundo o psicólogo Alexandre Bez, pessoas que têm esse tipo de conduta afastam os outros e podem ter problemas de relacionamentos além de dificuldades de trabalhar em equipe. E tem mais, se você convive com uma dessas “cobrinhas” fique em alerta e não deixe que o humor negro delas contamine você! Caso contrário, mesmo sem ser má você pode se tornar uma pessoa desagradável e também ser excluída pelos outros. Siga as dicas do nosso especialista e aprenda a lidar com essa situação da melhor maneira possível.

Convivência obrigatória
A estudante de administração é extremamente carente, ela se acha o patinho feio da família, mas não é bem assim no fundo Isabel é uma pessoa querida, porém frustrada, já que os pais dão mais atenção para a irmã. Fora das telinhas estes casos são muito comuns e conviver com estas pessoas sem perder a paciência e o bom humor é muito difícil, porém não há outra saída a não ser aprender a lidar com elas. “Todos somos obrigados a nos relacionar com essas pessoas, elas não podem simplesmente ser excluídas da sociedade. Não podemos escolher as pessoas que fazem parte da nossa família, por exemplo, mas podemos driblar essas situações”, afirma o psicólogo. Aos poucos e com o tempo, todos aprendem a driblar o jeito e o gênio das pessoas, principalmente os familiares, pois quando a pessoa está sempre presente, fica mais fácil saber a hora de ignorar certas atitudes e quando se deve levar a sério o que a pessoa diz. Na trama as irmãs e a mãe Tereza (Lilia Cabral) conhecem bem o jeito da moça, ignoram e leva na esportiva alguns de seus comentários maldosos, evitando discussões que podem deixar o clima insuportável. Segundo Bez, é exatamente isso que devemos fazer para driblar a situação. “E é assim mesmo que funciona. Pessoas assim, normalmente possuem um humor negro, são bastante sarcásticas e não perdem mesmo a oportunidade de fazer piadinhas de mal gosto”, ratifica.


Entre amigas
Quando existe uma “geniosa” no ciclo de amizades, a primeira questão é: O que esta pessoa representa no grupo de amigos? Às vezes dá para relevar, e outras não, quando percebemos que há inveja, arrogância e falta de caráter, segundo o psicólogo, é hora de se afastar. “Não se pode ignorar o fato que todas estas atitudes estão ligadas ao temperamento e da personalidade das pessoas, que possuem pequenos desajustes mentais ou transtorno de personalidade. Vale ressaltar que ninguém nunca muda o seu jeito de ser, o que pode acontecer é haver uma melhora de comportamento, mas isto se a pessoa quiser e estiver realmente incomodada com seus próprios atos”, diz o psicólogo. Muitas vezes, manter esse tipo de amizade pode atrapalhar o grupo todo, afinal, é muito comum acontecer desentendimentos entre vários amigos por causa de uma só pessoa. Bez alerta ainda que a convivência com alguém que possui estas características pode ser perigoso. “Se a pessoa que convive apresenta uma fraqueza, ela pode ser contaminada também por toda negatividade da outra, mesmo que inconscientemente”, alerta. Para isto é necessário ser madura e decidida para saber controlar a situação e se impor quando necessário, orienta o especialista.
 
Dificuldades de formar equipe
Conviver com uma “Isabel” no trabalho também não é fácil, é por isso que essas pessoas tendem a ter problemas para formar equipes, seja no trabalho, na universidade ou na escola.   Temos uma vida acadêmica, pessoal, e profissional e temos que saber separá-las, porém, temos uma única personalidade e quando se trata de relacionamentos, se não formos flexíveis, vamos ter problemas”, avisa o psicólogo. Segundo ele, as outras pessoas podem não aceitar defeitos como a impulsividade e a ironia. “Quem convive com uma pessoa com todos esses desvios de comportamento pode não gostar de ser manipulado e simplesmente abrir mão da relação”, afirma. Conseqüências? Pessoas sarcásticas podem não conseguir estabelecer amizade com os colegas, mesmo no trabalho. “Quando não são isoladas pelos colegas, essas pessoas se isolam, pois não sabem ser agradáveis. Isso prejudica principalmente quando é necessário trabalho em equipe”, explica Bez completando que além de infernizar a vida dos outros, esse tipo de comportamento faz mal para a própria pessoa que o tem, pois elas não levam uma vida prazerosa e nem feliz, pois passam o tempo fazendo intrigas e prestando atenção no que acontece com as outras pessoas para tirar alguém do sério na primeira oportunidade. “Essas pessoas podem acabar sozinhas!”, conclui.

Em família
Na trama Tereza (Lilia Cabral) conhece bem o jeito de Isabel e assim como as irmãs, ignora alguns comentários inoportunos e leva na esportiva algumas piadinhas da filha. Assim ela consegue evitar discussões que poderiam deixar o clima insuportável. Segundo Bez, é exatamente isso que devemos fazer para driblar o humor negro, o sarcasmo e as ironias.
Humor negro pega!
Bez alerta ainda que a convivência com alguém que possui estas características pode ser perigosa. “Se a pessoa que convive apresenta uma fraqueza, ela pode ser contaminada por toda negatividade da outra, mesmo que inconscientemente”, salienta. Para que isso não aconteça é necessário ser madura, decidida, saber controlar a situação e se impor quando necessário, orienta o especialista.

Elas também sofrem
Mas quem pensa que essas pessoas são felizes se engana. Elas sofrem as consequências de seus atos e costumam ter dificuldades de estabelecer amizades, principalmente no trabalho. “Quando não são isoladas pelos colegas, elas mesmas se isolam, pois não sabem ser agradáveis e trabalhar em equipe”, explica Bez. O piscólogo acrescenta que além de infernizar a vida dos outros, esse comportamento faz mal para a própria pessoa que o tem, pois elas não levam uma vida prazerosa e nem feliz já que passam o tempo todo fazendo intrigas e prestando atenção no que acontece para tirar os outros do sério na primeira oportunidade. “Podem acabar sozinhas!”, conclui.


segunda-feira, 8 de março de 2010

Mulheres reais

Homens de plantão deixam sua homenagem para a personagem principal de suas vidas seja ela mãe, esposa, namorada, irmã ou amiga


Na ficção as mulheres conquistam o público e dão o que falar. Em Cama de Gato, por exemplo, Rose (Camila Pitanga) rouba a cena. Linda, trabalhadora e compreensiva ela é a companheira que todo homem sonha. Já em Viver a Vida Tereza (Lilia Cabral) é quem merece destaque por seu papel de mãe acima de tudo. Ariane (Christine Fernandes) é a profissional incansável e Luciana (Alinne Moraes) um exemplo de determinação e uma verdadeiro espelho para a irmã adotiva. E você já ouviu falar que a vida imita a arte não? Pois é. Fora das telas milhares de Terezas, Lucianas, Arianes e Roses existem por aí. Os papeis também são semelhantes. Elas são super mães, excelentes profissionais, amigas, trabalhadoras, competentes, compreensivas e lindas. E não fomos nós que dissemos tudo isso, foram eles, os homens. Para homenagear todas essas mulheres incríveis a 7dias saiu a campo para saber o que nós faz tão essenciais na vida dos marmanjos. O resultado foi surpreendente!

À todas elas
“Não admiro uma única mulher nesse mundo, e sim todas, pois a mulher é o símbolo vivo que o ser humano pode lutar e adquirir seus direitos e deveres como qualquer outra pessoa. Sinto orgulho da mulher brasileira, que luta todos os dias para sustentar o seu filho, disponibilizar uma educação de qualidade para o seu futuro, luta contra o preconceito em uma sociedade machista e arbitraria, sabe transmitir sua alegria e amor por todos os seres do Universo e principalmente por toda a sua sabedoria. O mundo sem a classe feminina seria como uma tempestade de gelo, onde sempre faltaria uma linda tarde de verão.”
Tiago Mendes, 19 anos

Especialmente para minha irmã
“Admiro muito a minha irmã por muitos motivos, principalmente porque ela é uma pessoa guerreira, traça suas metas e luta até alcançá-las, já conquistou muitos de seus sonhos. Se formou em educação física, começou dar aulas de judô para crianças, é Personal Trainner, ela sempre busca o máximo de si, fez duas cirurgias no joelho e não desiste de passar o que sabe para seus alunos”.
Rômulo Carvalho, 26 anos


Minha amada
“Minha namorada é aquela pessoa que está comigo em todos os momentos, bons ou ruins, ela compartilha cada segundo ao meu lado. É alguém com quem eu realizo meus sonhos e é a única pessoa capaz de me compreender 100%. Ela é capaz de aguentar minhas manias e me aceitar como sou. Só o amor é encobrir os defeitos dessa maneira!”
Guilherme Furtado, 21 anos

A esposa perfeita
“Admiro a forma como a minha esposa consegue lidar com diversas situações que às vezes parecem impossíveis. A palavra que melhor a define é força, pois ela sempre trabalhou muito e superou a morte de parentes próximos com sabedoria. Somos casados e temos duas filhas, ela é uma mãe exemplar, trabalhadora e ainda arruma tempo pra cuidar dos afazeres de casa e para me fazer sorrir, quando estou chateado. Ela é uma super mulher!”
Marcelo Dos Santos, 38 anos

Maezona
“Minha mãe é uma pessoa com um coração enorme, dá amor, carinho, e soube dar para mim e minha irmã uma educação admirável, é preocupada e atenciosa. É sem dúvidas uma mãezona!”
Rafael Luiz, 23 anos

Família em primeiro lugar
“Algumas mulheres se privam, sem notar, de muitas coisas, e a única coisa que importa para elas é a família. Assim é minha mãe. Ela sempre está atenta a tudo e a todos, mas com o único objetivo de manter a família bem. Acho que essa é uma das missões mais difíceis que existem, se privar de si mesma e fazer o máximo pelo próximo. Deve ser trabalhoso, desgastante, mas é um dom que ela tem e que somente uma mulher seria capaz de ter.”
Paulo Talarico, 20 anos

Orgulho da minha vida
“Todas as mulheres que fazem parte da minha vida eu admiro, mas uma em especial merece todas as palavras de carinho nesse mês é minha filha Kelly de 23 anos. Desde que nasceu, ela lutou por cada minuto de sobrevivência, enquanto ninguém acreditava nas chances que ela teria, ela mostrou o quanto é forte, e hoje está se formando em fisioterapia é o maior orgulho da minha vida”.
Roberto Nazaro, 48 anos

Madrinha querida
“A minha madrinha é uma pessoa que sempre admirei, ela é uma segunda mãe para mim. Dedicada e sempre comprometida com o que faz, é uma pessoa que eu amo demais. É uma mulher guerreira, e tem um coração enorme. Como ela não pode mais ter filhos, adotou uma menina linda, e está curtindo ser mãe de novo.”
Fábio Martins, 27 anos

Uma amigona
"Tem mulheres que transformam o lugar onde ela estão só pelo fato de estar lá. Minha amiga Alessandra é uma delas e eu a admiro muito!”
Douglas Apolinário, 23 anos

Vovó que dá exemplo
A minha avó é um exemplo de mulher, passou por diversas dificuldades na vida, com a perda do marido que deixando dois filhos para ela criar em uma situação difícil. Ela teve que dar tudo de si para cuidar da casa, dos filhos, trabalhou e sustentou a família sozinha. Mais tarde, sofreu com a perda de um filho e ficou doente. Mesmo tendo passado por tudo isto, ela sempre conseguiu manter a cabeça erguida e tocar sua vida com dignidade e força. Hoje é uma pessoa feliz, ativa, virtuosa, dançante, ao longo dos seus 73 anos.
Lucas Wanzeller, 22 anos

Briguentas de plantão
“Toda mulher merece ser admirada, elas são frágeis por fora, mas por dento tem uma força descomunal, são guerreiras, e lutam pelos objetivos. São briguentas e não sossegam até nos deixar malucos, mas depois com um jeitinho e uma fala mansinha ganham a gente novamente.”
Anderson Bizordi, 29 anos

Carinho na medida
“Lembro-me da minha mãe dizendo: "quando você estava na minha barriga, eu fazia carinho e sempre dizia que seria sua mãe e seu pai ao mesmo tempo.” Mesmo sem ter concluído o ensino fundamental, vivendo fora de seu estado e longe da família, minha mãe teve toda a força, caráter, compaixão, e todas as qualidades de mulher para superar os obstáculos e me criar com toda a educação do mundo. Ela soube ser rígida e carinhosa nas medidas certas, o que me propiciou ser a pessoa que sou hoje”.
Paulo Augusto, 25 anos

sexta-feira, 5 de março de 2010

Uma fábula pode ser contada de várias formas, por diferentes meios

Como a história da Chapeuzinho Vermelho seria por diferentes meios de comunicação?
Cada meio de comunicação tem sua forma de contar o acontecimento, ou seja, sua linha editorial. Em princípio, nenhum deles está errado, apenas são diferentes formas de contar o mesmo fato.
Vamos ver essas previsões:



JORNAL NACIONAL
*(William Bonner): "Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem...".
(Fátima Bernardes): "... Mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia".

*FANTÁSTICO
(Glória Maria): "... Que gracinha, gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?"

*CIDADE ALERTA*:
(Datena) "... Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades?Cadê as autoridades? ! A menina ia para a casa da avozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva... Um lobo, um lobo safado. Põe na tela !! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não."

*JORNAL DA NOITE*
(Boris Casoy) "Lobo matou vovó e quase mata chapeuzinho. É uma vergonha".

*REVISTA VEJA*
"Lula sabia das intenções do lobo".

*EXPRESSO
"Lobão se deu mal. Traçou vovó, ia pegar chapeuzinho, mas caçadores acabaram com a festa"

*REVISTA CLÁUDIA*
"Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho".

*REVISTA NOVA*
"Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama".

*REVISTA MARIE-CLAIRE*
"Na cama com o lobo e a vovó".

*FOLHA DE S. PAULO*
Legenda da foto: "Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador".Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

*O ESTADO DE S. PAULO*
"Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT."

*ZERO HORA*
"Avó de Chapeuzinho nasceu no RS".

*AQUI*
"Sangue e tragédia na casa da vovó".

*REVISTA CARAS *
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte)Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a
CARAS: "Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa".

*PLAYBOY*
(Ensaio fotográfico no mês seguinte)"Veja o que só o lobo viu".

* REVISTA ISTOÉ *
"Dossiê Lobo: denúncias criaram CPI"

REVISTA EXAME*
"Caçadores fundam consultoria especializada em gestão de riscos"

* CAROS AMIGOS*
"O grito dos excluídos: Passeta a favor da paz critica truculência dos caçadores"

*G MAGAZINE*
(Ensaio fotográfico com lenhador)"Lenhador mostra o machado"
Posted on sexta-feira, março 05, 2010 | Categories: ,

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Como uma Drag Queen

Matéria publicada na edição 349 - Revista 7dias
Inteligente, elegante e bem-humorada. Incremente essa essência exuberante ao seu dia e seja uma mulher com M maiúsculoPor Joyce Barreto Chicon


Na casa mais vigiada do Brasil, a drag queen Dicésar Ferreira, também conhecido como Dimmy Kier, está dando o que falar. É inteligente, compreensivo e dona de uma autenticidade invejável. Características marcantes desses personagens exuberantes que têm atitude pra dar, vender, emprestar e, melhor, transitam como ninguém pelos universos feminino e masculino! Por isso, é bom saber: tenha sempre uma drag como aliada, pois nós mulheres temos muito a aprender com elas. No show bizz, Nany People é uma representante fiel da categoria e explica que as drags nasceram para incrementar o imaginário das pessoas. “Depois que tiramos a fantasia, somos um homem normal, como Dicésar”, garante ela, dizendo que a mistura de ingredientes como atitude, simpatia e bom humor é a receita para qualquer pessoa ser feliz, independente do sexo.
Conquiste com Nany People
Antes de garantir um look maravilhoso, um andar invejável e uma ótima postura, seja inteligente e mantenha o bom humor, sugere Nany People. Esta é a receita para cativar qualquer homem, assegura. “Mas debaixo de qualquer produção deve haver um cérebro. Do contrário, sempre errará”.  Assim como as drags se inspiram nas mulheres, pois fazem questão de passear e admirar nosso universo sempre que estão com suas perucas esvoaçantes, um salto “luiz XV” e uma maquiagem avassaladora, nós também temos muito que aprender com elas, especialmente no quesito ousadia com inteligência. As drags ficam sobre saltos altíssimos durante horas, fazem shows, dançam e se movimentam como ninguém. “A drag anda 20cm acima do mar”, brinca Nany People. Para conquistar o amado, ela dá outra dica: “Deixe a espontaneidade predominar e valorize a beleza que tem. A vaidade é importante até certo ponto. É bom se cuidar e tirar um tempo do dia para investir na aparência, mas, acima de tudo, é primordial se amar em primeiro lugar. Assim, transmitirá segurança e confiança em qualquer circunstância”, ensina. O preconceito, assinala, existe em todo o lugar. “Eu nunca deixei de fazer nada por ser drag, gay e transexual. A pessoa não escolhe ser gay, ela nasce gay, o que escolhe ser gay é burro, pois ignoram a maravilha de ser o que é”, alfineta.  Então, já sabe: para ser uma grande mulher é preciso ter força de vontade, perseverança e alto-astral, assim contagiará todos ao seu redor. Palavra de uma drag queen!


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Absorvente interno sem tabu


Incomoda, dói, tira a virgindade. Ignore os mitos e usufrua dessa comodidade com muita liberdade durante aqueles dias...


Por Joyce Barreto Chicon

A menstruação é o período que mais mexe com a estabilidade de nosso corpo: dor, desconforto, e muitas vezes constrangimento quando o fluxo é mais intenso. Para algumas mulheres, a situação fica ainda pior quando ela vem em meio a planos de ir à praia ou à piscina. Isso porque usar absorvente íntimo ainda gera dúvidas, preocupações e até mitos, como perda da virgindade, dor e vazamento. Se você é uma dessas que resistem aderir a essa comodidade moderna, temos bons motivos para mudar os seus conceitos, a ginecologista Rosa Maria Neme garante: Ao contrário do que muita gente imagina, os absorventes internos são confortáveis, discretos e seguros, sim. Deixa você mais a vontade, permitindo-lhe aproveitar ao máximo os momentos em que com os convencionais não permitiriam. Isso tudo sem contar com a higiene íntima da mulher. Os tamanhos variam de acordo com o tipo de fluxo. Tire suas dúvidas e aproveite melhor o verão com esse aliado dentro de seu necessaire.

Choque tóxico
Doença grave causada por infecção por cepas de staphylococcus aureus, observada com maior frequência em mulheres menstruadas que fazem uso de tampões vaginais de alta absorção. Pode surgir diante de uma contaminação pela toxina da bactéria estafilococo dourado. O uso correto do absorvente interno, com troca regular a cada 4 horas (no mínimo) e 8 horas (no máximo), pode evitar a infecção. A síndrome atinge duas mulheres a cada 10 mil por ano.

A ginecologista Maria Neme responde:

A cordinha arrebentou
O absorvente interno é seguro e resistente, a cordinha é comprida e fica bem presa à base. Dificilmente estoura, mas pode acontecer. Mas calma, não se preocupe, é fácil de removê-lo, puxe o absorvente interno de dentro da vagina com os dedos, caso ficar receosa e tiver dificuldades, procure ajuda de seu ginecologista imediatamente para que ele possa removê-lo.

Sofro de Candidíase. Posso usar?
Pode sim. O absorvente interno não influencia de forma alguma no tratamento ou na revolução da doença.

Posso dormir com ele?

Pode, mas desde que o absorvente seja colocado na hora de dormir e retirado assim que você acordar.

Infecção
É difícil um absorvente interno ser o estopim de uma infecção. Somente se permanecer na vagina mais tempo do que o permitido. Portanto, fique atenta.

Tamanho ideal
Em geral, varia de acordo com o fluxo menstrual. Se for muito excessivo, melhor usar o super. Caso contrário, prefira os tamanhos menores.

Irritações e corrimentos



Os absorventes internos, na maioria dos casos, não oferecem nenhum risco à saúde da mulher desde que sejam usados de forma correta e manipulação cuidadosa e higiênica.

Tira a virgindade?
Quem nunca teve uma relação sexual também pode usar sem medo. Não há nenhum risco de romper o hímen, mas pode causar um pouco de desconforto na primeira colocação. É Claro que para quem nunca usou, deve haver cautela, o absorvente nunca deve ser empurrado de profundamente.

Dor e desconforto
Não dói e também não oferece nenhuma sensação de desconforto para a mulher. Basta saber aplicá-lo de forma correta. Se doer, é porque não foi bem posicionado. A mulher que usa o interno, muitas vezes até esquece que está de absorvente, isso é muito comum.

Posso permanecer com ele molhado?



Pode. A troca só deve ser realizada em um período de aproximadamente 2 horas após o contato com a água para evitar possíveis infecções.

Vaza ou não vaza?
Há risco de vazar se o fluxo menstrual for muito intenso. Por isso, existem tamanhos diferentes e, neste caso, a troca do absorvente deve ser realizada em um período de tempo mais curto.

Hora de fazer xixi
Não é necessário retirar o absorvente para ir ao banheiro, por exemplo. O absorvente é colocado no canal vaginal e a urina sai pela uretra que se localiza logo acima da abertura vaginal. Por isso, se for fazer xixi, apenas segure a cordinha adaptada no produto por trás para não molhar.  

Publicado na revista 7dias com você edição 347

Posted on quinta-feira, fevereiro 25, 2010 | Categories:

Aposente seus óculos


A liberdade ao seu alcance. Com a cirurgia a laser, em 15 minutinhos, você estará enxergando tudo bem melhor, e sem precisar de mais nenhum artifício

Por Joyce Barreto Chicon

Você já pensou em acordar e não precisar mais dos óculos para enxergar o mundo a sua volta e, de quebra, dar um up no visual? Chris Flores, apresentadora do Hoje em Dia, fez a correção a laser. Ficou linda e bem mais a vontade à frente do matinal da Record. Seu rosto ganhou leveza e evidenciou seus traços. Conhecida como fotorrefrativa, a técnica corrige problemas comuns de visão como miopia, hipermetropia e astigmatismo. Os feixes do laser são aplicados sobre a córnea, com a proposta de remodelar a região ocular, proporcionando uma visão mais nítida, seja zerando ou diminuindo consideravelmente os graus de deficiência. Chris usava 3 graus de miopia no olho esquerdo e 2,5 no direito. Agora, ela só comemora os resultados. “Usar óculos não me incomodava, mas me limitava. Adoro dançar e não me identifico com as lentes de contato. Quando ia à praia, era complicado para entrar no mar porque sempre molhava os óculos”, conta. 

Atenção: Nem todos os casos necessitam de cirurgia, se o grau for muito baixo é bom evitá-la, isso porque os próprios médicos consideram desnecessários.



Cuidados, benefícios e custo
Antes de se submeter à cirurgia, é necessário fazer um exame oftalmológico completo. Para maior segurança na operação, o paciente precisa ter idade superior a 18 anos, ser isento de outras doenças oculares, e se mulher, não estar grávida. O custo varia entre R$ 1.500,00 e R$ 2.000,00, por olho. “A cirurgia leva cerca de 40 minutos. Os dois olhos podem ser operados ao mesmo tempo. A recuperação leva cerca de 24 horas, é um processo rápido. O afastamento do trabalho geralmente é de apenas um dia”, explica a oftalmologista da Clínica de Olhos São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro, Liana Toffano Coutinho. É importante tomar alguns cuidados após a cirurgia, como evitar coçar e esfregar os olhos, ficar em ambientes condicionados e não forçar a vista, ficando muito tempo em frente ao computador, por exemplo. “Fiz a cirurgia no dia 18 de dezembro e precisei ficar 15 dias sem usar maquiagem. O resultado foi super positivo, fez uma diferença enorme”, conta Chris.


E os riscos?
As chances de riscos no processo operatório são as mesmas de qualquer cirurgia, mas as chances de complicações são mínimas, garante Liana. “Sempre que perceber que os olhos estão secos, pois ficamos expostos o tempo todo à poluição, peça ao seu oftalmologista a prescrição de um colírio para o seu caso e não dispense os óculos escuros com lentes confiáveis quando estiver exposta à luz solar”, recomenda. A cirurgia a laser é recomendada para pessoas que possuem entre 2 e 6 graus. Para pacientes com deficiência superior a 7 graus, existem tratamentos mais específicos, mas tudo dependerá da espessura da córnea do paciente.



Volta ou não volta
Uma das dúvidas mais frequentes no consultório é se o grau pode voltar a subir após a cirurgia ocular. Segundo a oftalmologista, não. “O que pode acontecer é que depois dos 40 anos, o paciente pode adquirir a presbiopia (a famosa vista cansada) um quadro muito comum nessa fase da vida. Para esse problema ainda não há tratamento de conversão”, diz Liana. “Após a cirurgia, a autoestima dá uma levantada. É um ótimo investimento. Recebi muitos elogios. O retorno foi melhor do que esperava. Estou muito feliz!, conclui Chris.


Entenda as deficiências
Miopia
Dificuldade de enxergar de longe. Quem sofre do problema, sente os raios de luz atingir um ponto antes da retina.

Astigmatismo
A imagem é distorcida tanto para longe quanto para perto. Os raios de luz não se formam num mesmo ponto.

Hipermetropia
Há dificuldade de enxergar de perto, porque os raios de luz atingem um ponto atrás da retina.

Presbiopia
Mais conhecida como vista cansada, a visão é pior para perto. O problema atinge a população após os 40 anos e ainda não há reversão.

Posted on quinta-feira, fevereiro 25, 2010 | Categories: ,

Dieta e malhação para gestante

Revista 7dias com você, edição 347

Com bom senso e acompanhamento médico, você não vai ter o menor problema para voltar a exibir curvas irresistíveis após esse período

Por Joyce Barreto Chicon



Por Joyce Barreto Chicon

Gravidez não é doença e cuidar do corpo enquanto o bebê cresce na barriga é fundamental, não apenas para evitar um ganho de peso excessivo (o maior temor das grávidas vaidosas), mas para diminuir o estresse, aumentar a resistência física da mulher na hora do parto, melhorar a contração e evitar a flacidez ou a famosa “barriga de avental” pós-parto. Com medo de sofrer para voltar às curvas perfeitas depois de ganhar o bebê, como aconteceu em sua primeira gestação entre 2007 e 2008, quando engordou cerca de 15kg em sete meses, Scheila Carvalho adotou um programa de malhação específico e uma alimentação balanceada para a sua atual condição física. 

No quarto mês de gestação, ela tem engordado, em média, 1kg  por mês. “Mantenho meu hábito alimentar, mas agora minha dieta é rica em carboidratos e proteínas para sustentar o bebê e a mim mesma. Estou um pouco enjoada do pão integral, então eu como pão de sal normal, mas tiro o miolo. Também como ovos sem gema e aipim que é rico em carboidratos, arroz integral, um pedaço de frango e também muito suco natural”, revela a morena. Vale lembrar que todo cuidado é pouco nesta fase. Existem exercícios físicos específicos para gestantes que, inclusive, melhoram a função intestinal, o sono, aumenta a flexibilidade e a musculatura. Mas jamais ignore o estágio da gestação. Portanto, os exercícios devem ser moderados mês a mês. Paralelo a isso, caminhe mais. A atividade a deixará mais disposta!

De olho no prato

Iwi Onodera / para EGO

A alimentação durante a gravidez deve ser balanceada e variada. Assim, você fica de bem com a balança e ainda garante o desenvolvimento saudável do bebê. “Nos finais de semana eu saio da dieta, porque ninguém é de ferro (risos), como arroz natural e doces. E falando em doces, nesta gravidez tenho sentido muita vontade de comê-los, então me dou ao luxo de vez em quando”, conta Scheila, acrescentando que come dentro do limite e privilegia os alimentos que fazem bem para ela e para o bebê. “A gestante deve se alimentar para ela e a criança e não pelos dois. Odeio brócolis, mas estou comendo porque sei que faz bem para o bebê. Nunca exagero, pois quanto mais a mulher engorda, mais dificuldade terá de emagrecer depois”, alerta.

Receita contra estrias


Mais vaidosa do que nunca neste momento, Scheila revela outro medo que pode depor contra a beleza após o parto: estrias, vasinhos e afins, incentivados pelo estica-e-puxa da gestação. Para evitar o problema, ela mistura óleo de amêndoas a creme com ureia e passa pelo corpo diariamente. “Uso protetor solar sempre, tomo Sol só na parte da manhã e um pouco nos bicos dos seios para não rachar, durante 15 minutinhos”, completa.

Cuidados pós-parto


Após o parto converse com seu médico e siga as recomendações e restrições da quarentena. Não se desespere para voltar ao peso logo e nem malhe além dos limites recomendados pelo seu médico. Amamente muito, pois é uma forma de eliminar as calorias de forma mais rápida. Faça exercícios relaxantes, caminhe e mantenha a alimentação saudável. Uma dieta de origem vegetal é energética e de baixo valor calórico, além de prevenir contra câncer, diabete e doenças cardiovasculares. O leite materno contém galactose (açúcar que o leite de vaca não possui). Por isso, protege o bebê de diversos problemas de saúde, como alergias, infecções e complicações gastrointestinais. Além disso, é bom reforçar: o leite materno assegura um desenvolvimento mental maior e melhor equilíbrio emocional da criança.

Vale lembrar: É fundamental que a mãe amamente seu bebê até os seis meses de vida, nada menos que isso e nem mais que isso.

Palavra do personal


Jefferson Lima, personal trainer de Scheila Carvalho há dois anos, explica que os exercícios durante a gravidez variam de acordo com corpo, costumes e atividades da mulher antes da gestação. “A Scheila se dá bem com a musculação porque faz exercícios há muito tempo. A ideia é atingir a resistência muscular e eliminar o ganho de gordura excessiva”, explica. Segundo ele, a gestante deve fazer o acompanhamento de rotina com o médico e levar o diagnóstico para o personal estabelecer o cronograma de atividade física, com acompanhamento mês a mês. “E se a mulher se sentir cansada, sem disposição para continuar, prescrevemos alongamento, ioga, hidromassagem e exercícios mais relaxantes”, indica. “Tenho um problema sério de retenção de líquido, então não dá para ficar parada. Faço esteira e outros aparelhos que ativam a circulação, mas não abuso. Tento manter tudo saudável, tanto que só descobri que estava grávida porque a menstruação atrasou, não senti enjoo e nem mal-estar”, revela a morena, linda em seus 66,5kg.