quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Aposente seus óculos


A liberdade ao seu alcance. Com a cirurgia a laser, em 15 minutinhos, você estará enxergando tudo bem melhor, e sem precisar de mais nenhum artifício

Por Joyce Barreto Chicon

Você já pensou em acordar e não precisar mais dos óculos para enxergar o mundo a sua volta e, de quebra, dar um up no visual? Chris Flores, apresentadora do Hoje em Dia, fez a correção a laser. Ficou linda e bem mais a vontade à frente do matinal da Record. Seu rosto ganhou leveza e evidenciou seus traços. Conhecida como fotorrefrativa, a técnica corrige problemas comuns de visão como miopia, hipermetropia e astigmatismo. Os feixes do laser são aplicados sobre a córnea, com a proposta de remodelar a região ocular, proporcionando uma visão mais nítida, seja zerando ou diminuindo consideravelmente os graus de deficiência. Chris usava 3 graus de miopia no olho esquerdo e 2,5 no direito. Agora, ela só comemora os resultados. “Usar óculos não me incomodava, mas me limitava. Adoro dançar e não me identifico com as lentes de contato. Quando ia à praia, era complicado para entrar no mar porque sempre molhava os óculos”, conta. 

Atenção: Nem todos os casos necessitam de cirurgia, se o grau for muito baixo é bom evitá-la, isso porque os próprios médicos consideram desnecessários.



Cuidados, benefícios e custo
Antes de se submeter à cirurgia, é necessário fazer um exame oftalmológico completo. Para maior segurança na operação, o paciente precisa ter idade superior a 18 anos, ser isento de outras doenças oculares, e se mulher, não estar grávida. O custo varia entre R$ 1.500,00 e R$ 2.000,00, por olho. “A cirurgia leva cerca de 40 minutos. Os dois olhos podem ser operados ao mesmo tempo. A recuperação leva cerca de 24 horas, é um processo rápido. O afastamento do trabalho geralmente é de apenas um dia”, explica a oftalmologista da Clínica de Olhos São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro, Liana Toffano Coutinho. É importante tomar alguns cuidados após a cirurgia, como evitar coçar e esfregar os olhos, ficar em ambientes condicionados e não forçar a vista, ficando muito tempo em frente ao computador, por exemplo. “Fiz a cirurgia no dia 18 de dezembro e precisei ficar 15 dias sem usar maquiagem. O resultado foi super positivo, fez uma diferença enorme”, conta Chris.


E os riscos?
As chances de riscos no processo operatório são as mesmas de qualquer cirurgia, mas as chances de complicações são mínimas, garante Liana. “Sempre que perceber que os olhos estão secos, pois ficamos expostos o tempo todo à poluição, peça ao seu oftalmologista a prescrição de um colírio para o seu caso e não dispense os óculos escuros com lentes confiáveis quando estiver exposta à luz solar”, recomenda. A cirurgia a laser é recomendada para pessoas que possuem entre 2 e 6 graus. Para pacientes com deficiência superior a 7 graus, existem tratamentos mais específicos, mas tudo dependerá da espessura da córnea do paciente.



Volta ou não volta
Uma das dúvidas mais frequentes no consultório é se o grau pode voltar a subir após a cirurgia ocular. Segundo a oftalmologista, não. “O que pode acontecer é que depois dos 40 anos, o paciente pode adquirir a presbiopia (a famosa vista cansada) um quadro muito comum nessa fase da vida. Para esse problema ainda não há tratamento de conversão”, diz Liana. “Após a cirurgia, a autoestima dá uma levantada. É um ótimo investimento. Recebi muitos elogios. O retorno foi melhor do que esperava. Estou muito feliz!, conclui Chris.


Entenda as deficiências
Miopia
Dificuldade de enxergar de longe. Quem sofre do problema, sente os raios de luz atingir um ponto antes da retina.

Astigmatismo
A imagem é distorcida tanto para longe quanto para perto. Os raios de luz não se formam num mesmo ponto.

Hipermetropia
Há dificuldade de enxergar de perto, porque os raios de luz atingem um ponto atrás da retina.

Presbiopia
Mais conhecida como vista cansada, a visão é pior para perto. O problema atinge a população após os 40 anos e ainda não há reversão.





0 Opiniões: