domingo, 28 de fevereiro de 2010

Como uma Drag Queen

Matéria publicada na edição 349 - Revista 7dias
Inteligente, elegante e bem-humorada. Incremente essa essência exuberante ao seu dia e seja uma mulher com M maiúsculoPor Joyce Barreto Chicon


Na casa mais vigiada do Brasil, a drag queen Dicésar Ferreira, também conhecido como Dimmy Kier, está dando o que falar. É inteligente, compreensivo e dona de uma autenticidade invejável. Características marcantes desses personagens exuberantes que têm atitude pra dar, vender, emprestar e, melhor, transitam como ninguém pelos universos feminino e masculino! Por isso, é bom saber: tenha sempre uma drag como aliada, pois nós mulheres temos muito a aprender com elas. No show bizz, Nany People é uma representante fiel da categoria e explica que as drags nasceram para incrementar o imaginário das pessoas. “Depois que tiramos a fantasia, somos um homem normal, como Dicésar”, garante ela, dizendo que a mistura de ingredientes como atitude, simpatia e bom humor é a receita para qualquer pessoa ser feliz, independente do sexo.
Conquiste com Nany People
Antes de garantir um look maravilhoso, um andar invejável e uma ótima postura, seja inteligente e mantenha o bom humor, sugere Nany People. Esta é a receita para cativar qualquer homem, assegura. “Mas debaixo de qualquer produção deve haver um cérebro. Do contrário, sempre errará”.  Assim como as drags se inspiram nas mulheres, pois fazem questão de passear e admirar nosso universo sempre que estão com suas perucas esvoaçantes, um salto “luiz XV” e uma maquiagem avassaladora, nós também temos muito que aprender com elas, especialmente no quesito ousadia com inteligência. As drags ficam sobre saltos altíssimos durante horas, fazem shows, dançam e se movimentam como ninguém. “A drag anda 20cm acima do mar”, brinca Nany People. Para conquistar o amado, ela dá outra dica: “Deixe a espontaneidade predominar e valorize a beleza que tem. A vaidade é importante até certo ponto. É bom se cuidar e tirar um tempo do dia para investir na aparência, mas, acima de tudo, é primordial se amar em primeiro lugar. Assim, transmitirá segurança e confiança em qualquer circunstância”, ensina. O preconceito, assinala, existe em todo o lugar. “Eu nunca deixei de fazer nada por ser drag, gay e transexual. A pessoa não escolhe ser gay, ela nasce gay, o que escolhe ser gay é burro, pois ignoram a maravilha de ser o que é”, alfineta.  Então, já sabe: para ser uma grande mulher é preciso ter força de vontade, perseverança e alto-astral, assim contagiará todos ao seu redor. Palavra de uma drag queen!


0 Opiniões: