quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Dieta e malhação para gestante


Com bom senso e acompanhamento médico, você não vai ter o menor problema para voltar a exibir curvas irresistíveis após esse período



Por Joyce Barreto Chicon

Gravidez não é doença e cuidar do corpo enquanto o bebê cresce na barriga é fundamental, não apenas para evitar um ganho de peso excessivo (o maior temor das grávidas vaidosas), mas para diminuir o estresse, aumentar a resistência física da mulher na hora do parto, melhorar a contração e evitar a flacidez ou a famosa “barriga de avental” pós-parto. Com medo de sofrer para voltar às curvas perfeitas depois de ganhar o bebê, como aconteceu em sua primeira gestação entre 2007 e 2008, quando engordou cerca de 15kg em sete meses, Scheila Carvalho adotou um programa de malhação específico e uma alimentação balanceada para a sua atual condição física. 

No quarto mês de gestação, ela tem engordado, em média, 1kg  por mês. “Mantenho meu hábito alimentar, mas agora minha dieta é rica em carboidratos e proteínas para sustentar o bebê e a mim mesma. Estou um pouco enjoada do pão integral, então eu como pão de sal normal, mas tiro o miolo. Também como ovos sem gema e aipim que é rico em carboidratos, arroz integral, um pedaço de frango e também muito suco natural”, revela a morena. Vale lembrar que todo cuidado é pouco nesta fase. Existem exercícios físicos específicos para gestantes que, inclusive, melhoram a função intestinal, o sono, aumenta a flexibilidade e a musculatura. Mas jamais ignore o estágio da gestação. Portanto, os exercícios devem ser moderados mês a mês. Paralelo a isso, caminhe mais. A atividade a deixará mais disposta!

De olho no prato

Iwi Onodera / para EGO

A alimentação durante a gravidez deve ser balanceada e variada. Assim, você fica de bem com a balança e ainda garante o desenvolvimento saudável do bebê. “Nos finais de semana eu saio da dieta, porque ninguém é de ferro (risos), como arroz natural e doces. E falando em doces, nesta gravidez tenho sentido muita vontade de comê-los, então me dou ao luxo de vez em quando”, conta Scheila, acrescentando que come dentro do limite e privilegia os alimentos que fazem bem para ela e para o bebê. “A gestante deve se alimentar para ela e a criança e não pelos dois. Odeio brócolis, mas estou comendo porque sei que faz bem para o bebê. Nunca exagero, pois quanto mais a mulher engorda, mais dificuldade terá de emagrecer depois”, alerta.

Receita contra estrias


Mais vaidosa do que nunca neste momento, Scheila revela outro medo que pode depor contra a beleza após o parto: estrias, vasinhos e afins, incentivados pelo estica-e-puxa da gestação. Para evitar o problema, ela mistura óleo de amêndoas a creme com ureia e passa pelo corpo diariamente. “Uso protetor solar sempre, tomo Sol só na parte da manhã e um pouco nos bicos dos seios para não rachar, durante 15 minutinhos”, completa.

Cuidados pós-parto


Após o parto converse com seu médico e siga as recomendações e restrições da quarentena. Não se desespere para voltar ao peso logo e nem malhe além dos limites recomendados pelo seu médico. Amamente muito, pois é uma forma de eliminar as calorias de forma mais rápida. Faça exercícios relaxantes, caminhe e mantenha a alimentação saudável. Uma dieta de origem vegetal é energética e de baixo valor calórico, além de prevenir contra câncer, diabete e doenças cardiovasculares. O leite materno contém galactose (açúcar que o leite de vaca não possui). Por isso, protege o bebê de diversos problemas de saúde, como alergias, infecções e complicações gastrointestinais. Além disso, é bom reforçar: o leite materno assegura um desenvolvimento mental maior e melhor equilíbrio emocional da criança.

Vale lembrar: É fundamental que a mãe amamente seu bebê até os seis meses de vida, nada menos que isso e nem mais que isso.

Palavra do personal


Jefferson Lima, personal trainer de Scheila Carvalho há dois anos, explica que os exercícios durante a gravidez variam de acordo com corpo, costumes e atividades da mulher antes da gestação. “A Scheila se dá bem com a musculação porque faz exercícios há muito tempo. A ideia é atingir a resistência muscular e eliminar o ganho de gordura excessiva”, explica. Segundo ele, a gestante deve fazer o acompanhamento de rotina com o médico e levar o diagnóstico para o personal estabelecer o cronograma de atividade física, com acompanhamento mês a mês. “E se a mulher se sentir cansada, sem disposição para continuar, prescrevemos alongamento, ioga, hidromassagem e exercícios mais relaxantes”, indica. “Tenho um problema sério de retenção de líquido, então não dá para ficar parada. Faço esteira e outros aparelhos que ativam a circulação, mas não abuso. Tento manter tudo saudável, tanto que só descobri que estava grávida porque a menstruação atrasou, não senti enjoo e nem mal-estar”, revela a morena, linda em seus 66,5kg.

Revista 7dias com você, edição 347




0 Opiniões: