sábado, 3 de abril de 2010

O diário de Anne Frank

Annelisse Maria Frank ou Anne Frank, uma adolescente judia que viveu a segunda guerra mundial, passando boa parte escondida em um esconderijo com outros judeus, era um anexo de um casarão. Onde registrou todos seus momentos e opiniões em um diário, do qual ela chamava de Kitty. Anne, falava dos medos, da convivência com a família e os outros judeus escondidos com ela, sobre seu crescimento, suas emoções e descobertas.

Após a guerra e depois de descoberto, o diário virouem um livro já lido por milhares de pessoas em todo o mundo. A primeira edição foi publicada em 1947. Alguns trechos em que a menina falava de sua sexualidade e também outros comentários foram cortados por seu pai, que achou melhor não divulgar estas informações, em respeito a Anne.

Quem lê O diário de Anne Frank se emociona com a força que a jovem teve durante o tempo que se manteve escondida, ela descrevia e narrava tudo o que conseguia ouvir, e ver além do que estava no esconderijo. Lá havia um pequeno rádio, do qual eles ouviam as notícias, e conseguiam saber tudo o que se passava sobre a guerra.

Quase no final da guerra, soldados da SS conseguiram descobrir o esconderijo, e levou Anne e as outras pessoas para um campo de concentração. A menina tinha 15 anos quando morreu, mas deixou sua história. Hoje em Amsterdã existe um museu em homenagem a ela, além de um monumento dedicado a ela.

Vídeo com imagens do Holocausto e a vida de Anne Frank


Imagens de Anne Frank





Veja como era o anexo (esconderijo)


Leia mais em: http://www.starnews2001.com.br/anne-frank/diary.htm