quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Livro: Feliz ano velho

O livro
 

Feliz ano velho é um fenômeno editorial publicado pela primeira vez em dezembro de 1982, desperta interesse em leitores exigentes e eventuais. Explicar esse fenômeno é puro exercício de ficção.
 
Talvez sua linguagem coloquial sintética e inovadora, num estilo precursor que até hoje influencia novos escritores, seja um elemento da fórmula bem-sucedida.
 
Ou quem sabe a trama, o carisma do narrador, ou os personagens bem construídos.
 
Marcelo, o narrador, é um jovem á procura de um ideal: superar com humor e verdade alguns traumas de sua vida como o desaparecimento político do pai, o deputado socialista por São Paulo, Rubens Beirodt Paiva, em janeiro de 1971, e o acidente que o deixou deficiente aos 20 anos de idade, em dezembro de 1980.
 
Marcelo conta sua história com maestria, revelando sentimentos que o ligam a sua geração. A sinceridade sem limites do autor e a forma como destrincha alguns temas da época tocam com sutileza em alguns tabus, entre eles o erotismo.
 
O livro foi traduzido para diversos idiomas esteve quatro anos em primeiro lugar nas listas dos mais vendidos, garantindo ao escritor e jornalista Marcelo Rubens Paiva, reconhecimento e os mais importantes prêmios literários brasileiros – como jabuti e Moinho Santista – colocando-o no hall dos escritores contemporâneos de maior prestígio.
 
Adotado em muitas escolas e faculdades, dentro e fora do Brasil, foi adaptado para o cinema pelo diretor Roberto Gervitz com a produção da Tatu Filmes e, para o teatro por Alcides Nogueira, com a direção de Paulo Betti.
 
Feliz Ano Velho não é só um ato de amor à literatura, é também o gosto e a coragem de viver.
 
 
O autor
Palavras de Marcelo Rubens Paiva
 
“Há uns anos, eu estava num corredor do congresso, em Brasília, e fui parado por Ulysses Guimarães, deputado símbolo da redemocratização. Ele veio correndo, como um garoto, pegar meu autógrafo. Disse que Feliz Ano Velho era um dos seus livros de cabeceira.
 
Xuxa já disse, numa entrevista, que meu livro era um dos seus favoritos. Antônio Houaiss e Thiago de Mello já me escreveram cartas elogiando o livro. Recentemente, Carla Perez, a nova musa brasileira, elegeu Feliz Ano Velho como seu livro preferido - e ela tinha cinco anos quando foi publicado pela primeira vez.
 
Não sei qual o segredo para agradar loiras e troianos. É um livro que fugiu do meu controle. É mais sedutor e Carismático que o próprio autor como um garotão cheio de amor para dar, segue sozinho seu caminho. Agora debuta. Faz 15 anos de vida e ganha um edição com fotos do arquivo da família. Parabéns Feliz Ano Velho..."
 
Opinião:
 
Há 10 anos me recomendaram a leitura deste livro, eu li e adorei. O livro trata da tragédia que ocorreu na vida do autor que o deixou paraplégico, ele descreve como tudo aconteceu, e como foi enfrentar todo esse drama de frente. Ele descreve com certo humor, e dá uma baita lição de vida no leitor.
 
 
É possível encontrar esta obra em sebos, de uma procurada, a leitura realmente é ótima!
 
 
Posted on quarta-feira, janeiro 05, 2011 | Categories: