quinta-feira, 23 de junho de 2011

TIM-TIM: Os benefícios da CERVEJA

Esses dias eu estava na academia, e como de costume peguei uma revista para folhear nos meus intervalos de treino. De página em página, uma em especial foi convidativa, não resisti, e li! Falava sobre os benefícios de um copinho ou outro de cerveja, claro que tudo que é em excesso faz mal. mas a matéria pondera justamente esta questão! E aproveitando que estava sem beber há quatro meses (estava porque ontem me permiti a uns copinhos moderados, sou filha de Deus também). Mas brindaremos às coisas boas e nem tão boas assim da vida, principalmente aos AMIGOS, aos trabalhos concluídos e claro, à vida!
TIM - TIM
Uma Cervejinha, quem diria, faz bem à saúde
(Por Constança Tatsch e Juliana Diniz - Revista Women'shealth - edição de Junho 2010)

Você já deve conhecer os riscos do excesso de álcool. E não estamos falando da vontade de telefonar para o seu ex de madrugada. Quem exagera, além de pagar mico, tem mais chance de desenvolver cirrose, doenças cardiovasculares, sem falar da barriga. Beber moderadamente, no entanto, pode fazer bem à sua saúde. E todo garçom sabe que a bebida nacional campeã de pedidos é uma loira gelada. À base de cevada, lúpulo e malte, a cerveja carrega vários benefícios.

Uma lata por dia - o limite saudável para as mulheres (segundo as diretrizes do Departamento de Saúde e de Serviços Humanos dos Estados Unidos) - fortalece seus ossos, ajuda a reduzir o colesterol e cuida até do viço da sua pele. mas é importante lembrar que se você ultrapassar essa quantidade os efeitos serão inversos. "Também não se deve acumular os drinques todos na noite de sábado, caso não tenha consumido álcool durante a semana", diz Ana Beatriz Rique, representante da American Overseas Dietetic Association e nutricionista da Clínica Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro.

Ossos
Está em dúvida sobre qual tipo de cerveja pedir?
As ales claras e as largers têm maior quantidade de silício, mineral que ajuda a fortalecer os ossos, diminuindo o risco de osteoporose. A conclsão é de um estudo americano recente da Universidade da Califórnia, publicado no Journal of the Science of Food and Agriculture. Isso porque o grão de cevada é rico em silício mineral que aumentaria a densidade óssea. Já nas escuras, a torração dos grãos diminui a quantidade do mineral. Mas não se anime, o excesso pode ter efeito contrário: aumentar o risco de fraturas.

Peso
Esta é para você incorporar o hábito:
Pesquisadores acompanharam durante 13 anos, 19 220 mulheres com peso normal no início do estudo. Cerca de 60% delas bebiam álcool e 40% não. O resultado publicado no Archives of Internal Medicine, mostrou que, ao todo 41 % ganharam sobrepeso ou ficaram obesas. As que não bebiam ganharam em média 4 Kg, ante 1 Kg das que bebiam. O risco de ter sobrepeso er a quase 30% menos entre as mulheres que bebiam uma ou duas doses por dia. Os resultados estavam associados a quatro tipos de bebidas alcoólicas: Vinho tinto, Vinho branco, cerveja e licor. A notícia é boa, mas não se esqueça das muitas calorias contidas em cada lata (cerca de 150).

Coração
Parece piada, mas é pesquisa, e das sérias.
Freiras espanholas toparam beber diariamente meio litro de cerveja - sem álcool, porque a piada não é tão boa assim. A causa é nobre: participar de uma pesquisa da Sociedade Espanhola de Dieta e Ciências da Alimentação em conjunto com a Universidad de Valência também na Espanha. Depois do estudo, as religiosas que a princípio tinham altas taxas de colesterol viram o nível de LDL, o mau colesterol, diminuir 8%. A graça - com o perdão do trocadilho - seria concedida pelo lúpulo, um igrediente da bebida rico em antioxidantes. Os pesquisadores concluíram que os benefícios também valiam para cerveja com álcool, clara ou escura. "A cerveja ainda contém piridoxina e folatos, capazes de reduzir os níveis de homocisteína, substancia presente na circulação sanguínea e relacionada a  uma maior incidência de doença coronária", afirma a nutricionista Andrea Zaccaro de Barros, da Vianutri Consultoria, em São Paulo. 

Longevidade
Para ter uma pele mais viçosa e viver até os 100 anos, os antioxidantes são fundamentais, pois mantêm todas as funções do organismo em equilíbrio por mais tempo. Então, se você quer comemorar a boa forma, brinde com cerveja malzbier. Ela contém o dobro dos polifenóis das cervejas pilsen e das sem alcool. Provenientes da cevada maltada e do lúpulo, os polifenóis são antioxidantes potentes, que combatem os radicais livres. Sim, aqueles que prejudicam o funcionamento das células e promovem o seu envelhecimento.

Hidratação
Água que passarinho não bebe a gente pode beber, sim.
A cerveja, quem diria, é ótima para repor a hidratação de atletas 2 horas depois de suar a camisa numa competição. Um estudo da Universidade de Granada, na Espanha, apresentado ao Conselho Superior  de Investigações Científicas do país, indica a ingestão de duas tulipas da bebida para recuperar o metabolismo de esportistas e prevenir a chatíssim dor muscular. "Além disso, segundo os autores da pesquisa, o gás contidona bebida pode acelerar a absorção da água da própria cerveja, e seus carboidratos também ajudam a repor o glicogênio perdido no exercício", comenta o nutricionista Luis Meirelles, de São Paulo.

Intestino
Não que a cerveja deva substituir o pão integral na sua lista de compras, mas na happy hour, você pode se sentir menos culpada pelos goles ao se lembrar de que uma lata traz 2 g de fibras solúveis, 10% da recomendação diária. "As fibras equilibram a flora intestinal, regulam os níveis de colesterol e de glicose no sangue, diminuem a incidência de cancro do cólon e de diverticulite (pequenas bolsas que se formam na parede intestinal)", diz Andrea. Mas a nutricionista ressalta também que, em excesso, o álcool irrita a mucosa gástrica.


Posted on quinta-feira, junho 23, 2011 | Categories:

sábado, 18 de junho de 2011

TRIP HOP: Músicas para SEXO


(flstudiomusic.com)

Me lembro de uma vez, logo nas primeiras semanas de aula do primeiro ano na faculdade, na disciplina de "introdução ao jornalismo", na qual todos deveriam levar um jornal para discutirmos alguns assuntos. Agora não me lembro bem se saiu no “O Estado de São Paulo” ou “Folha de SãoPaulo”, no caderno cultural de um desses jornais uma matéria sobre o gênero musical “TRIP HOP”.

A ideia era qualificar as notícias apresentadas, e por desconhecerem o estilo, a maioria qualificaram esta matéria como "uma notícia desnecessária". Com a ajuda da professora que perguntou: "Alguém sabe o que é Trip Hop?, eu mesma nunca ouvi falar", e a resposta para a pergunta, um grande NÃO. 

Como uma fã da banda "Portishead" (Trip Hop), arrisquei: "Sim, Trip Hop existe sim, e é um gênero muito legal". Não demorou muito para muitos me olharem como uma ET e as frases: "De uma sala de 50 pessoas, só você conhece!"

Ainda assim continuei arriscando. Em uma dessas aulas, precisávamos construir um rápido texto com a ajuda da Internet, apenas para adequá-lo às técnicas jornalisticas que ali fomos aprendendo, o texto precisava ser informativo, mas com um tema aleatório. Pois bem, resolvi informá-los sobre a existência do Trip Hop

Mas antes esclareço o que tem a ver com o título do post, vale a curiosidade: Explico ao decorrer do texto, mas, você sabia que o Trip Hop é o gênero musical mais escolhido para relações sexuais?
Então vamos lá...

Sobre o Trip Hop

(Massive Attack)

Trip Hop originou-se por volta da década de 1980. São músicas lentas, consideradas eletrônicas com batidas desaceleradas. Sofre influência do HIP HOP, do house, do acid jazz e do club. É conhecido também por “Bistrol”, cidade da Inglaterra onde nasceu, com um grupo chamado “The Wild Bunch”, nome que durou pouco, pois logo foi rebatizada de “Massive Attack”.

No Brasil, o Trip Hop chegou no ano de 1998 para o "Free Jazz Festival", que aconteceu entre os anos de 1985 e 2001, a bordo do álbum "Mezzanine". À partir de então o gênero musical começou a ganhar espaço no país, e tornou-se o preferido de muita gente. 

O termo Trip Hop surgiu na década de 1990, na qual o estilo ganhou mais ênfase e novas bandas com novos álbuns. Ainda da banda Massive Attack (composta pelos integrantes 3D, Daddy G, Mushroon e Tricky), foi lançado o album “Blue Lines”. Logo depois, em 1994, surgiu a famosa banda “Portishead”, lançando o album “Dummy”.

Claro que com o tempo foram aparecendo muitas outras bandas que são referências no mundo da música nos dias de hoje, mas infelizmente poucos sabem da existência do Trip Hop. A boa notícia para quem curte, é que aos poucos começam a se formar novas bandas que além de rock, também opta em apresentar o Trip Hop, em bares noturnos. Vale uma pesquisa nos buscadores da Internet por essas bandas e locais onde se apresentam.


E onde entra o sexo?

Ao ouvir as músicas, as batidas, a melodia, já desperta uma sensação diferente, você deve admitir. Um pouco lento, mas nem tanto, e se fechar os olhos consegue fantasiar alguns cenários. De forma gradativa o som fica agradável, harmonioso, cria-se aquele momento, digamos especial. Talvez seja por isso, que esse gênero musical foi considerado um dos mais apropriados para ouvir durante as relações sexuais.

O Trip Hop é adotado em tradicionais casas noturnas, bares de swings, e boates que exibem apresentações em pole dances, com stripers e outras modalidades. Mas esta é apenas uma das formas de encontrar lugares que tocam o Trip Hop em meio de outros tipos de gêneros musicais.

O Trip Hop é também uma boa pedida entre momentos de casais, que tal em um Drive In durante os amassos no carro, no quarto de um motel. Ou ainda, que tal surpreender o(a) namorado(a), um jantar, um momento íntimo e o Trip Hop como trilha sonora? Somente sugestões ;)


Algumas bandas


Talvez você conheça e quem sabe, até goste. Apenas não reconheça como Trip Hop, então vou citar algumas para você. 

- Massive Attack;
- Dido
- Portishead
- Tricky
- Denali
- Esthero;
- Lovage;
- Morcheeba;
- Smoke City;
- Shine;
- Moby;
- Lamb;
- Gorillaz;
- Hooverphnic,
- 8mm;
- Abraham;
E muitas outras famosas, e também as que estão surgindo por aí... Ainda bem!

Se você tiver um tempinho, sugiro que procure algumas dessas bandas no YouTube mesmo, selecione as músicas que mais gostar e divirta-se!
Algumas dicas:


Que tal um Strip Tease?
Portishead - All Mine



Para as preliminares, hmmm...
Lovage - To Catch a thief



Provoque
Hooverphonic - Mad About You


Use a imaginação
Portishead - Glory a box



sábado, 11 de junho de 2011

A história das coisas

Por Joyce Barreto



O vídeo revela as relações de diversos problemas ambientais e sociais, além de fazer uma crítica ao modelo Americano, mostrando o fetichismo da mercadoria, pois tudo o que é produzido pelo trabalhador passa a ser mais importante que ele mesmo. As coisas se tornam desejo de consumo, não é necessidade, apenas algo para suprir uma vontade, na maioria das vezes criadas através da mídia.

Esse desejo torna-se insaciável, a sociedade passa a acreditar que as coisas podem proporcionar-lhes prazer e felicidade. Um exemplo também mostrado no documentário já citado neste blog é do documentário “Surplus”: tomar coca-cola, comer no MCDonald, ou mesmo ter opções diversas de canais na televisão.

As pessoas estão dispostas a trabalhar mais, para poderem consumir mais, mesmo que isso as prejudique mais tarde. No vídeo também é feito uma crítica também exposição dos trabalhadores todos os dias a toxinas prejudiciais a saúde, e ao consumo destas pelas pessoas que levam essas toxinas para suas casas, a amamentação, onde o bebê digere todos esses tóxicos desde seus primeiros momentos de vida. O governo é apontado, que deveria proteger a sociedade, mas para estes o consumismo é algo promissor e o capitalismo é algo fundamental para seu crescimento.

Fica claro que tudo isso é um sistema em crise, e os recursos naturais estão escassos, a cada dia nosso planeta está “morrendo”, e tudo isso para continuar alimentando o ciclo vicioso que é o consumismo. E quem não possui e nem compra exacerbadamente, quem não está sempre inovando seja na moda ou na tecnologia não tem valor na sociedade, é fácil perceber quem não está contribuindo para esse tal ciclo.

Detalhes do vídeo:

Não pagamos o preço verdadeiro dos produtos, e no vídeo como exemplo é citado um rádio de custo U$ 4,99 que passa por diversos processos como desde sua fabricação até a transportação a loja que foi posto a venda.

Podemos analisar  a produção de sapatos na Indonésia e nas Filipinas, são feitos por crianças entre 12 e 16 anos, que trabalham 14 horas por dia para ganharem apenas alguns trocados do preço de vendas dos produtos, os sapatos são vendidos por 100 euros, mas na realidade custam mesmo 5 euros.

Dica: assista THE EDUKATORS

A sociedade se deixa manipular a tudo o que induz ao consumismo, porque na verdade é essa a fantasia que cada um tem sobre a felicidade, é comprar, adquirir coisas que serão jogadas fora em breve e pelo costume, será comprado um igual novamente, só que mais sofisticado, e isso só tende a desenvolver cada vez mais.

O ser humano sem perceber se coloca apto, a trabalhar mais, recebe seu salário, se deixa levar pelo que a mídia impõe, consome muito e está sempre exausto, sem tempo para si próprio, quando percebe, tem a saúde comprometida devido aos anos de trabalho,  ao tal consumismo que aparentemente é inofensivo, e perdeu parte da sua vida trabalhando apenas para sustentar este vício.