sábado, 26 de outubro de 2013

Cemitério da Recoleta - Buenos Aires

Nos posts anteriores, falei sobre a viagem a Buenos Aires que meu namorado e eu fizemos nessas férias, falei sobre “A crise da Argentina” e comecei a falar em como foi a “viagem para Buenos Aires”. 

E prometi que falaria sobre todos os detalhes que mais chamaram a atenção na viagem.

Aqui falo sobre o Cemitério da Recoleta, que foi um dos mais incríveis passeios que fizemos muito rico em conhecimento e bem curioso também.

Cemitério da Recoleta - Buenos Aires
Cementerio de la Recoleta assim falam os portenhos. O Cemitério foi inaugurado em 1822 no harmonioso e nobre bairro da Recoleta. Flores cercam o cemitério, na entrada um jardim verde que recebe os visitantes. A mistura da flora com a beleza arquitetônica é um convite para conhecer o que há de tão especial dentro do cemitério.

Quando falamos de “cemitérios” algumas pessoas mostram repulsa, porque já imaginam o ambiente e cenas fúnebres, mas não estamos falando de um cemitério simples, no qual o movimento lá dentro é para condolências, ou cerimônias funerárias. Falo de um cemitério que carrega aulas riquíssimas da história argentina. Além de obras artísticas de deixar qualquer um admirado e esquecer que está dentro de um cemitério.

Assim como o cemitério da Consolação em São Paulo, o Cemitério da Recoleta em Buenos Aires possui grande influência francesa, e em suas instalações existem a maior parte das famílias aristocratas da Argentina.

Lá, muitos mausoléus são famosos e alguns turistas vão direto a procura dessas, como:

Eva Perón

Eva (Evita) Duarte de Perón (1919-1952), considerada a defensora dos trabalhadores, esposa do general Juan Domingo Perón.

Luis Federico Leloir (1906-1987), cientista ganhador do prêmio Nobel de Química de 1970.

José Hernández (1834-1886), reconhecido peta e político.

Miguel Cané (1851-1905), escritor e advogado.

Victória Ocampo (1891-1979), escritora e editora.

Victória Ocampos
 Nicolás Avellaneda (1837-1885), foi presidente da Argentina 
entre 1874 e 1880. Além de advogado e jornalista.

 Adolfo Bioy Casares (1914-1999), escritor de obras famosas, também escreveu com outros autores de peso no país.

Miguel Juárez Celman (1844-1909), foi presidente da Argentina e advogado.

Cosme Argerich (1758-1820), primeiro mestre de estudos médicos da Argentina. 

Blanca Podestá (1889-1967), atriz e produtora enterrada no jazigo familiar García Velloso.
Cosme Argerich

Carlos Maria de Alvear (1789-1852), soldado que lutou pela independência americana.

Alejandro Vicente López y Planes (1785-1856), autor do hino nacional da Argentina.

Juan Andrés Gelly Y Obes (1815-1904), chefe do Estado-Maior do Exército da Argentina na guerra do Paraguay.





Além de milhares de outros nomes famosos e muito importantes da história da Argentina.

Lá, tiramos algumas fotos incríveis do cemitério, e vou compartilhar com vocês!

Para ver em tamanho original, clique sob a foto.




















No próximo post, falarei sobre o mausoléu que entre todos me chamou mais atenção, e fiz questão de pesquisar detalhes sobre toda a história da italiana Liliana Crociati. Vocês entenderão porque.

Então... Até o próximo post amigos blogueiros...



0 Opiniões: