sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Viagem para Buenos Aires

Em resumo...

Argentina -
Por Joyce Barreto Chicon
Domingo – 06 de Outubro: desembarcamos cerca das 11 horas da manhã no Aeroporto de Ezeiza em Buenos Aires – Argentina. Lá fomos em busca da agência de turismo da qual compramos nossa viagem, para o traslado do aeroporto até o hotel. Durante o caminho, um guia explicava os detalhes principais sobre a viagem e os passeios. 

Olhando através da janela da Van, reparei que diferenças entre as rodovias de São Paulo e Buenos Aires são... Nenhuma! Ao alcance dos olhos: pontes, comércios, uma grande dimensão de periferias, carros, pedágios e mais carros...

Repito, terão os que discordarão desse meu post e dirá que estou falando só baboseiras. Me resta repetir que respeito opiniões alheias, mas insisto que a vontade de desqualificar o Brasil perante QUALQUER outro país é sempre mais saboroso para a maioria dos brasileiros. Infelizmente.! Ok, sou suspeita a tocar no assunto, me considero patriota, e não canso de dizer que a cada dia eu amo ainda mais o meu país.

Voltando a Buenos Aires, tenho muita coisa extraordinária para falar da cidade. Chegamos ao Pestana Hotel, localizado bem no centro da cidade, muito próximo ao Obelisco e as ruas mais agitadas do centro. Adianto que fomos muito bem atendidos pelos funcionários do hotel, um almoço rápido por lá, e depois andar pela Recoleta. Nesse dia 06 de Outubro em um domingo, acontecia uma feira de antiguidades na praça da Recoleta, bem grande, com pequenas apresentações na rua, diferentes trabalhos expostos, e um cenário arquitetônico incrível em volta.

Praça da Recoleta -
Por Joyce Barreto Chicon
Foi assim que fomos atraídos para dentro do cemitério da recoleta. E o que geralmente causaria repulsa nas pessoas, pelo simples fato de ser um cemitério, surpreende com os fantásticos mausoléus com inspirações francesas construídos em toda extensão do local. Além de muito bonito e tocante, o cemitério carrega grandes histórias de toda Argentina, das personalidades marcantes de diferentes séculos. Achei tudo tão incrível que vou dedicar um post apenas sobre o cemitério, assim fica mais fácil de entender o que afirmo neste parágrafo e não prolongo ainda mais esse post.

Cemitério da Recoleta
http://www.cementeriorecoleta.com.ar/

Aproveitamos a noite nos bares e com um som legal. Admirei muito os portenhos pela lealdade a seu país e sua cultura, pouco se ouvia músicas norte americanas ou de qualquer outro país que não fosse o deles. Nos bares, as músicas ambientes das lojas e cafeterias, nos rádios dos carros dos taxistas, enfim. Citei a música, mas isso ocorre em tudo quando o assunto é cultura da Argentina. Pontinha de inveja, queria que no Brasil houvessem brasileiros tão patriotas que soubesse admirar sua própria cultura, que é riquíssima... (*devaneando*)

Caminhada combina com café!

Café Martinez -
Por Joyce Barreto Chicon

Sou fã número 1 de um saboroso cafezinho, entre meus maiores lazeres, conhecer novas cafeterias e apreciar a bebida está no topo, principalmente se for dentro de livrarias, aí me sinto no céu, e não preciso de mais nada. E a cada esquina do centro de Buenos Aires, lá estava um convidativo café.

Meu namorado e eu somos fã de uma boa caminhada... Mesmo, bater perna é com a gente. Não estou falando de minutinhos andando apreciando vitrinas. Falo de andar, andar, andar e sempre chegar a um ponto em que não aguentamos mais o peso do corpo, pernas bambas e pés doloridos... Pés avermelhados, sim! Cicatrizes no tornozelo causadas por sapatos, SIM! Joelhos e panturrilhas doloridas, SIM! E sim, eu tenho calos nos dedos ;)

Mas espera, tudo tem o seu lado maravilha, e o nosso tem, nosso dia rende e nossos passeios ainda mais. E a cura? Um bom cafezinho pra começar a andar tudo de novo para qualquer outro lado. E foi assim que conhecemos todas as ruas famosas e isoladas que rodeiam o centro de Buenos Aires em 04 dias.

Arquitetura

Por Joyce Barreto Chicon

Por Joyce Barreto Chicon

Já andou pelo centro mais antigo do seu estado? O meu é São Paulo, e quem conhece sabe, que o centro possui construções histórias fantásticas, para mim são como poesias em tijolos e concreto. Em Buenos Aires não é diferente, difícil é andar com o olhar fixo sempre à frente.

Por todos os lados a arquitetura surpreende e quando você percebe, está de queixo caído e falando qualquer frase sem sentido de admiração. RIQUÍSSIMO e lindo, construções tão antigas que você viaja no tempo.

Realização

Malfalda, personagem de Quino
Por Joyce Barreto Chicon
É como digo, todo mundo traça seus objetivos em suas viagens e eu sempre disse “Quando eu for para a Argentina, já ficarei satisfeita em conhecer a estátua da Mafalda, e tirar uma foto com ela.” Pronto, realizado!

Eu precisei sentar ao lado dela
- Por Jefferson Alexandre Rodrigues
E ao visitar o Caminito, comprei um retrato dela.

Uma loja no Caminito fez a minha alegria
- Por Jefferson Alexandre Rodrigues
Pesos

Pesos, tudo barato em Buenos Aires? Vai pensando que é fácil...
Por Joyce Barreto Chicon
Atualmente a cotação oficial do peso para o real está se seguinte forma:

A cada R$ 1,00 = $2,66
Mas se você pesquisar um pouco consegue trocar por mais. Por exemplo, nós conseguimos trocar com nossa guia de viagem da agência de turismo cada R$ 1,00 = $ 3,00. Nos últimos momentos descobrimos que conseguíamos por $3,50. E com um pouco mais de esforço, era possível trocar até por $4,00.

Presentinhos

Por Joyce Barreto Chicon

Por Joyce Barreto Chicon

Por Joyce Barreto Chicon

Por Joyce Barreto Chicon
Não, em Buenos Aires NADA É BARATO COMO DIZEM. Esquece a ideia de viajar para lá e trazer a mala mais cheia de presentinhos e seja lá o que for. A menos que você não tenha muita noção do que fazer com o seu dinheiro, mesmo.

É claro que existem poucas coisas que valem a pena comprar por lá, mas como eu disse no meu último post no blog, essa mesma coisa, se você pesquisar bem por aqui no Brasil encontra pelo mesmo valor e até mais barato. E cá entre nós, nessas condições eu prefiro que o meu dinheiro circule por aqui no país tropical e bonito por natureza.

Não entro nesse assunto, de uma olhada no post “En Buenos Aires: A crise da Argentina”, e entenda melhor esse inter título.

Valeu a viagem

Basílica de Nossa Senhora de Luhan
Por Joyce Barreto Chicon
Zoo Temaiken
Tudo foi o máximo, ainda mais porque conhecemos muito da cultura do país, não o suficiente, mas foram quatro dias ricos e conhecimento. Cada detalhe valeu a pena, o passeio no cemitério me deixou impressionada, sou alucinada pelo movimento gótico e a igreja de Nossa Senhora de Luhan me deixou abobalhada, tudo muito lindo e empolgante. Mas a experiência que nos arrancou mais sorrisos, nos vimos crianças novamente e a experiência única, foi no zoológico Temaiken, o contato com os animais dos maiores que é o que todo mundo faz filas para ver até os menores que ficam soltos pelo Zoo. Maravilhoso!





Me chamem de boba, aliás gritem o quanto sou boba, mas a imagem de cada animal e a sensação do toque no pelo deles, a boca e dentes raspando nas nossas mãos procurando comida que oferecíamos, o bico do pato cutucando a palma da mão com todo cuidado atrás de cada grão de ração e a sensação das lambidas que de repente nos surpreendia, valeu a viagem inteira.  

--

Embora o texto grande, esse foi um curto resumo do que foi nossa viagem, aos poucos vou liberando posts de momentos mais específicos, e que servem como dicas para quem quer conhecer o país dos portenhos.

0 Opiniões: