segunda-feira, 24 de março de 2014

Intercâmbio ao seu alcance

Investimento 02 em 01. Você realize o sonho de conhecer outro país e ainda aprende um idioma que pode lhe abrir portas no trabalho
Por Joyce Barreto - 
Para Revista 7dias  -
 edição 365 - maio de 2010.

Aprender um novo idioma e de quebra, conhecer o exterior. Assim, é o intercâmbio. E se você acredita que esse sonho está fora de cogitação de se tornar uma realidade na sua vida, saiba que não é bem assim. O mercado oferece uma série de possibilidades para quem quer investir no intercâmbio, com alternativas adequadas ao bolso e as necessidades de cada um. Tem até cursos específicos para quem não domina nada de outro idioma. Sem grana? Financie ou entre em um consórcio para pagar a viagem. Já é um bom caminho percorrido. Afinal, para ver esse projeto sair do papel, a palavra de ordem é: planejamento. “Uma boa dica é, antes de tudo, procurar saber sobre programas personalizados e planejar o pagamento com, no mínimo, um ano antes do embarque”, ensina Gabrielle Vieira, da Word Study.

Tempo no exterior
Além do idioma, a experiência de vida e o conhecimento de novas culturas também enriquecem o currículo. Portanto, o tempo que vai ficar lá também vai depender de suas prioridades e dos compromissos que deixou no Brasil antes de viajar. Aos poucos, o intercambista se relaciona e se familiariza com a “nova casa”. “Mas é importante ter determinação e vontade”, salienta Gabrielle. Se a ideia é voltar dominando o inglês, por exemplo, esse objetivo vai depender do tempo que você tem para isso. Para o inglês desde o básico, o ideal é permanecer fora cerca de seis meses, no mínimo. Já para quem vai apenas aprimorar o método de conversação, de um a dois meses é tempo suficiente. Gabrielle garante: “Não é necessário passar um ano para saber se virar no exterior”.



Benefícios
Além de ser uma experiência enriquecedora, o intercâmbio ajuda a conhecer e respeitar as diferenças. É também um grande diferencial no currículo e a bagagem tem peso significativo num processo seletivo. “O mercado muda constantemente e a procura de profissionais adaptáveis e flexíveis também. O intercambista, normalmente, obtém esse requisito”, avisa Gabrielle. Se você percebe que sua empresa incentiva e se preocupa em investir no colaborador, aproveite as oportunidades, demonstre desempenho e conquiste esse benefício. “É possível aproveitar as férias do trabalho para investir no intercâmbio. Tire um mês para ficar fora, mas planeje antes. A empresa o verá como alguém que procura crescer sempre”, afirma a especialista.

Para onde ir
Canadá, Austrália, Chile, África do Sul, Irlanda e Nova Zelândia são ótimas opções para quem está sem grana. Nesses países, a moeda está em baixa e o custo das passagens, bem mais acessíveis. Viver nesses países também está mais fácil porque têm normas que permitem o brasileiro trabalhar para se sustentar. A África do Sul, por exemplo, atrai principalmente pela facilidade de entrar no país. Vale a pena investir!



Onde pesquisar (destaque)
Ainda está em dúvida de que programa escolher ou pra onde embarcar? Então use a internet a seu favor. Ela é uma ótima ferramenta de busca. Blogs, sites e Twitter são essenciais e ricos em troca de informações.

O que é Au Pair?
O programa é ótima opção para quem quer gastar pouco e aprender muito. O intercambista fica diretamente em contato com o idioma estrangeiro e sai do Brasil para morar em casa de família, tomando conta de crianças. Para quem tem entre 18 e 26 anos e já possui experiência com crianças, o Au Pair é perfeito. Mas pesquise, pois cada país possui tem suas normas. Alguns aceitam pessoas até 30 anos. O programa custa em torno de USS 225,00 (R$ 120,00). Mas o valor é instável, pois depende da queda ou alta do dólar.

Saiba mais!

0 Opiniões: