terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Amor em crise financeira

Drible a falta de grana e salve sua relação. Mas, antes, veja até que ponto bancar sozinha todas as despesas vale realmente a pena

No começo da relação tudo é muito bom, mas à medida que vamos conhecendo a pessoa, os conceitos mudam pra melhor ou... pior, especialmente quando o assunto é grana. Ora, são eles que estão desempregados e no vermelho; ora somos nós, que não temos dinheiro nem para pagar o ônibus que nos levará ao encontro. Se esse é o seu caso, saiba que é possível salvar a relação desse abismo entre o coração e a conta bancária, garante o psicólogo Alexandre Bez. Antes de mais nada, aconselha, estabeleça um planejamento financeiro a dois. “Organizem-se, façam as contas, alinhem o discurso. O casal deve encontrar alternativas para reduzir os gastos e investir no futuro. Não seja impulsiva, converse, reduza os gastos e economize junto com ele”, ensina o psicólogo. Viu só? Então siga as dicas, drible os imprevistos e saiba até que ponto é possível segurar a onda sem colocar essa união em risco.



Sexualidade em baixa
A crise financeira acarreta muito mais problemas para os homens do que para as mulheres. Segundo o psicólogo, o primeiro reflexo das dificuldades econômicas atinge diretamente a atividade sexual do casal, pois os homens não procuram a mulher com tanta frequência quando estão com a conta bancária no vermelho. Além disso, quando o trabalho não vai bem, eles ficam estressados e descontam na mulher e nos filhos. “A crise financeira atrapalha. Diminui o carinho e o afeto entre o casal e ambos mudam o comportamento. Também aumentam as brigas e abrem espaço para a traição”, aponta Bez. Nessa hora, é preciso exercitar e muito a capacidade de compreensão, observa.

Seja compreensiva
A situação do seu amado pode ser apenas uma fase. Portanto, saiba compreender o lado dele. O apóie e o ajude a correr atrás de oportunidades melhores. Isso, claro, desde que ele aceite ajuda. Para Alexandre Bez, respeito é um dos pontos: “Agindo assim implicitamente você despertará a confiança dele o que é muito bom para o relacionamento”, garante. Tudo tem um lado positivo!

Ele não sai mais comigo
No namoro, a falta de dinheiro também atrapalha. Chega o fim de semana e dá aquela vontade de vê-lo, de pegar um cineminha ou sair pra jantar, enfim, fazer um programa a dois. Só que ele não pode e diz que está sem dinheiro. Até aí tudo bem, mas se ele sempre alega falta de grana, pode estar arrumando mesmo é um pretexto para não sair com você. “A falta de grana pode servir de desculpa para o término de um relacionamento, principalmente se ele não tiver coragem de conversar sobre assunto. Com esse argumento, simplesmente se afasta, mesmo gostando”, diz o psicólogo.

Quando a mulher ganha mais
Para alguns homens, a mulher ter um salário superior pode ser um enorme incômodo, principalmente se ele for machista. Segundo o especialista, muitos chegam a se ofender com essa condição da mulher. “Os homens se vêem na obrigação de pagar tudo quando sai com uma mulher. É um meio de provar que podem fazer isso e até uma forma de impressionar a companheira”, afirma o psicólogo. Por esses motivos, segundo Bez, ele pode não preferir ficar em casa assistindo filmes ou qualquer outra coisa não precisará por a mão no bolso. “Mas que pode ser bem divertido. Só tome cuidado para não cair na rotina, pois com o tempo a falta de diversão pode ser por um ponto final nessa relação”.

Crie, economize e curta
Se a ideia é um jantar um romântico e o dinheiro está curto, prepare-o você mesma sem sair de casa. Deixe os pratos com uma cara deliciosa, apague as luzes e acenda velas. Vale até ligar o som e deixar uma música romântica bem baixinha criar um clima. Depois do jantar sugira ideias para apimentar a noite. Vocês não vão gastar com restaurante e nem com o motel. Então, anime-se!
Eu sempre banco tudo
Pagar uma vez o cinema é válido, mas preste atenção no comportamento dele. Se perceber que ficou quieto e não se manifestou, pense duas vezes antes de levar essa relação em frente. Ele pode se acostumar com a ideia e se aproveitar da situação. Agora se ele desaprova que você pague e se notar que ficou incomodado, é sinal de que seu homem não é um oportunista. É antiprodutivo entrar de cabeça num relacionamento se você não o conhece muito bem. Fuja de qualquer cilada, mesmo que esteja apaixonada. Avalie a situação do outro. Se ele tem algum problema de estabilidade, inclusive financeira, seja cautelosa. Mantenha a cabeça no lugar e pense bem antes de se apaixonar e acabar no prejuízo”, avisa Bez.


Quem paga a conta?
A carência e o medo de ficar sozinha são os maiores motivos para que você entre numa fria. “Passe a gostar mais de si mesma, cuide-se, mantenha a mente ocupada, faça ginástica, saia com os amigos, faça cursos e tudo o que lhe proporcione prazer”, recomenda. Não é saudável sempre pagar sozinha a entrada do motel, por exemplo. A dica é dividir as contas: metade para cada um e ambas as partes devem concordar, conclui o psicólogo.




0 Opiniões: