quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Seja um doador. Salve vidas!

É simples, fácil, rápido, indolor e se serve de motivação, esse ato deixará o seu coração transbordando de felicidade
Por Joyce Barreto Chicon




 
A atriz Drica Moraes foi uma das beneficiadas com a doação de medula óssea. A identidade do doador foi preservada, mas o fato é que foi ele o grande responsável por salvar a vida da atriz, vítima de leucemia. Drica passou por um transplante de medula óssea no dia 23 de junho de 2010, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Mas porque citar a atriz? Acontece que Drica é uma figura pública, a quem podemos mencionar como referência e puxar o gancho para falarmos de um assunto tão sério e muito importante, a doação de medula óssea.

Segundo a Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO), atualmente  há mais de mil pessoas na fila de espera aguardando o transplante de medula óssea no Brasil. No dia 26 de Agosto de 2015, a SBTMO iniciou um debate sobre este assunto no 19º Congresso Brasileiro de Transplante de Medula. Os médicos afirmam que há falta de leito, e dizem que a situação é mais grave para os pacientes que precisam de transplante do tipo alogênico quando doador e receptor são pessoas diferentes.

A presidente da SBTMO, Lúcia Sila afirma para a repórter Flávia Villela da EBC Agência Brasil que pacientes esperam até dois anos para serem transplantados, quando o certo seria uma espera até sete meses. “Pacientes com indicação de transplante alogênico levam, em média, de quatro a seis meses, desde o diagnóstico da doença, passando por várias quimioterapias, até o momento do transplante. Então, até sete meses é o ideal”. (Veja a matériacompleta)

Vamos entender um pouco sobre medula óssea, como funciona o procedimento, os caminhos e os requisitos necessários para fazer a doação.

Medula óssea
É o tecido encontrado no interior dos ossos que produz as células sanguíneas, traduzidos em glóbulos brancos e vermelhos e plaquetas. O transplante é necessário para quem sofre de leucemia, mieloma múltiplo, linfomas e síndrome de mielodisplásica, aplasia medular, anemia severa, doenças genéticas hereditárias, tumores sólidos, imunodeficiência e doenças autoimunes.

Quem pode doar
O doador deve possuir entre 18 e 55 anos e apresentar bom estado de saúde. Não pode ser portador de doenças infecciosas ou incapacitantes.

Como funciona
Depois de preencher um formulário com seus dados pessoais, é coletado uma amostra de 5ml de sangue que passará por testes a fim de analisar a compatibilidade entre o doador e o beneficiado. O cadastro é armazenado, até aparecer um paciente para concluir a doação. As chances de encontrar uma medula compatível são de uma em cem mil. Por isso, quanto mais gente doar, maiores as chances de salvar vidas.

A medula é retirada do interior dos ossos da bacia, por meio de punções, sob anestesia, o tecido se recompõe em cerca de 15 dias. O procedimento não causa dor, algumas pessoas dizem sentir apenas um pequeno incomodo após o efeito da anestesia, outras afirmam que não sentem absolutamente nada. Após a doação, o doador deve repousar por uma semana.

Se você tiver interesse em fazer essa boa ação, pesquise e informe-se. Seja um doador!

Serviço
Associação de Medula Óssea: (11) 3333-4424
Fundação Pró-Sangue: 0800 550300
Associação Brasileira de Transplante de Órgãos: (11) 3262-3353

0 Opiniões: