quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Resenha: Uma aventura literária para meninas e meninos



Um livro infantojuvenil escrito por Márcia Kupstas e publicado no ano de 2006. A leitura é rápida e muito divertida, com uma linguagem apropriada para adolescentes de 12 a 16 anos. Conta a estória fictícia de sete meninas em suas fases de descobertas com idade entre 15 e 16 anos, elas formam O clube do beijo. Elas se reúnem e confiam umas nas outras como verdadeiras confidentes e dividem seus momentos e melhores experiências. Mas como todo clube, existem regras a cumprir, obviamente só se permite meninas e para fazer parte deste grupo, cada uma já deve ter tido a experiência do primeiro beijo. Qualquer confidência exposta deve ficar alí. E então se forma um pacto de confiança.

Para tornar as coisas mais interessantes, um grupo de amigos suspeitam que entre estas amigas acontecem muito mais do que trocas de confidências, é quando eles se reúnem e decidem espionar as meninas, e elas descobrem, é quando decidem ir atrás, e um deles, o mais estrambelhado se dá mal e acaba sendo capturado por elas. É como dizem, quando meninas se reúnem muitas ideias afloram, e então, as sete amigas decidem fazê-lo de refém, afim de que ele conte para elas como é a visão masculina sobre elas.

Márcia Kupstas escreveu o “Clube do Beijo” com uma riqueza de detalhes impressionante, o leitor consegue imaginar cenários e os perfis dos personagens facilmente. É isso que transforma a leitura em algo dinâmico e nutritivo para ideias e fantasias. Mas o que impressiona é que um livro com o foco em sete personagens femininas, o narrador de toda história, nada mais é que o rapaz azarado que fora capturado pelas amigas, chamado de Pica-Pau que possui um senso de humor inigualável, a narrativa é feita em primeira pessoa, porém divide os contos com cada uma das meninas que contam estórias que já aconteceram em suas vidas e se tornaram marcantes.

Cada estória contada é diferente e uma mais emocionante e empolgante que a outra. E é isto que faz todo ficar mais saboroso no livro, o leitor é instigado a querer saber mais de cada um dos personagens. E Pica-Pau faz questão de contar para os leitores o quanto acabou se divertindo com a estória de passar a noite no clube do beijo, batendo papo e dando suas opiniões sobre garotas, e ouvindo também a opinião delas sobre rapazes.

No meio desta experiência tão interessante, o narrador escolhe com qual menina ele se identifica mais, e se mostra um verdadeiro amigo para as meninas que também se divertiram muito com a novidade daquela noite clube do beijo, que por um acidente e descuido de Pica-pau tirou elas da rotina de suas reuniões.

O leitor de O clube do beijo passa por diversas emoções, a risada, o aperto no coração, o encanto, a vontade de saber mais, de saber o final, tudo se junta e vira uma explosão de sentimentos durante a leitura deste livro tão empolgante.

Fiz a leitura deste livro quando eu tinha 14 anos, estava na oitava série, foi indicada por uma professora de português, claro que a intensão na época é desvendar algumas dúvidas do adolescente, instigar a perguntar mais sobre questões que muitas vezes ainda são Tabus para algumas pessoas, ficadas, romances, namoro, sexo, a paixão. Claro que os tempos são outros, e em muitas escolas existem aulas com educação sexual, o que acho muito bacana. Na minha época de escola ainda não tinha, e o livro foi revelador, sem dúvida. Os assuntos são abordados de forma coerente, sem agressividade. Mas sim de uma forma amena, sutil e esclarecedora.

Confesso que li o livro duas vezes na vida, e ainda tenho guardado comigo. Sim, é nostálgico e fez parte de bons momentos do meu desenvolvimento.

0 Opiniões: